O escapamento furou? Saiba o que fazer

Veja dicas para agir corretamente nessa situação

Foto: Divulgação

Não é só pelo barulho incômodo que você deveria trocar o escapamento assim que perceber que ele furou. Saiba os motivos e os reparos que se deve fazer nessa importante peça

A IMPORTÂNCIA DO ESCAPAMENTO

A maioria dos motores dos carros vendidos hoje trabalha com um sistema de contra-pressão dos gases para o perfeito funcionamento. Quando o escapamento está furado há uma alteração neste ciclo que implica, além do ruído, em mudanças no comportamento do motor, especialmente em marcha lenta.

PREVENÇÃO

Geralmente o que acontece para furar um escapamento é o modo de uso, ou a queima constante de combsutíveis adulterados com água e solvente. Geralmente quem faz percursos curtos demais, em que todo o sistema não atinge a temperatura ideal por um determinado tempo, também acaba deixando o escapamento úmido por mais vezes. Essa sobra, que não queima, fica parada no silenciador e gera algum tipo de corrosão. O seu modo de guiar também afeta o sistema. É bom evitar passar rápido em lombadas ou valetas, boa parte dos danos provocados à peça vêm de cortes ou amassados na tubulação. 

TROCAR OU SOLDAR?

Tudo depende do tamanho do dano, mas não é incomum os donos preferirem o reparo à troca da peça. Às vezes o estrago é isolado e restrito a um pedaco da tubulação e a área pode ser retirada e receber um enxerto de metal no local afetado. A diferença entre um reparo e a troca do conjunto pode chegar a R$ 900. Se o problema for no silencioso, não há como fazer reparos e você terá de trocar a peça inteira. Se for na tubulação, é mais fácil e barato soldar outra chapa no lugar da área corroída.

DANOS E MULTA

Além de desconfortável e de desregular o funcionamento do motor, rodar com o escapamento furado faz com que você gaste mais combustível. A peça fora da condição padrão também acarreta multa de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH do condutor.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários