Conheça os perigos de andar na reserva

Prática coloca em risco a vida útil da bomba de gasolina

Por Marcelo Moura // Fotos: Divulgação

Se você tem mania de andar sempre com o tanque de combustível na reserva, seja por esquecimento, ou por aquela famosa economia de querer gastar apenas R$ 20 em cada abastecimento, saiba que o barato pode sair caro.

Considerando os riscos que você corre, uma das hipóteses é ficar parado no meio da via graças a uma pane seca – quando o veículo simplesmente para de funcionar por falta de combustível. Além do transtorno, o seu bolso também vai sentir, já que o Código de Trânsito Brasileiro prevê multa de R$ 85,13 para quem para na via por falta de combustível, além de quatro pontos na carteira e remoção do veículo.

 Achou ruim? Espere até saber o que mais pode acontecer. Trafegar com baixo nível de combustível pode resultar no superaquecimento da bomba elétrica.  De acordo com Rafael Rezende, engenheiro de teste veicular do Instituto Mauá de Tecnologia, “o grande problema é que os carros novos possuem uma bomba interna e não mais externa. Então, como não existe mais o sistema de refrigeração com o próprio meio, o combustível é que faz essa função. Logo, se o carro anda com pouco combustível, a bomba pode superaquecer, o que diminui sua vida útil.”, afirma o engenheiro.

Outro problema que pode ocorrer é a entrada de partículas de sujeira na bomba. “A decantação faz com que algumas partículas de sujeira fiquem no fundo do reservatório. Pode acontecer de a bomba puxar esse combustível que está quase no final e alguma partícula passar pelo filtro.”, completa Rezende.

 Caso a peça realmente pare de funcionar, a dor de cabeça e no bolso é grande.  Por exemplo, a troca da bomba de um Gol 1.0 sai entre R$ 200 e R$ 300. Os problemas não param por aí. Conforme o CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária), em situações que exigem muito do carro, como subidas íngremes, curvas acentuadas e freadas bruscas, se o nível do tanque estiver baixo, aumenta a chance de entrar ar na linha de combustível, o que pode provocar falhas no funcionamento do motor.

 Para evitar que tudo isso ocorra, a solução é bem simples: deixar o carro com pelo menos ¼ do tanque cheio e memorizar que a reserva não é um reservatório a mais, mas um aviso do carro informando o motorista de que ele possui apenas mais alguns litros para chegar ao posto de gasolina mais próximo. Outra dica que pode ajudar a não pesar no bolso é deixar o tanque sempre com ¾ do total. Assim, você pode sempre colocar R$ 20  por vez sem fazer com que o seu veículo corra riscos desnecessários.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários