Os freios falharam? Saiba como agir

Confira dicas que podem salvar a sua vida nessa situação

Foto: Divulgação

Você está em uma estrada a 100 km/h quando enxerga uma curva para ser feita a 40 km/h, mas quando vai frear, os freios não funcionam. E agora? Tenha calma, mas antes veja as dicas abaixo.

AVISE OS OUTROS MOTORISTAS

Essa é primeira coisa que você deve ter em mente. Ao preceber que o seu carro não freia tente ir para uma faixa de rolagem que estiver vazia e sinalize – nesse caso, vale usar o pisca-alerta.

COMO ESTÁ O PEDAL?

Se o pedal estiver afundado bem perto do assoalho, pode ser algum problema no cilindro mestre ou com pouco fluído, mesmo assim tente bombeá-lo, pode ser que ele volte a funcionar. Se ele estiver duro a ponto de você não conseguir pressioná-lo, verifique se não há nada por baixo do pedal. Em caso negativo há algo emperrando o funcionamento do sistema, a partir daí esqueça o pedal.

FREIO-MOTOR

Como o pedal não funciona, o ideal e menos danoso ao carro é você começar a reduzir as marchas. Em caso do carro com câmbio automático sem modo sequencial coloque na função L (Low) que a função de freio motor fará efeito instanâneamente. No caso do câmbio manual, reduza as marchas a partir do momento em que o conta-giros estiver abaixo das 4.000 rpm. Acima disso uma redução de marcha força demais o motor e a transmissão pode sofrer avarias irreversíveis.

E O FREIO DE MÃO?

Se a redução de marchas não surtiu o efeito que você precisa, use também o freio de estacionamento para aumentar a chance de que o carro pare totalmente. A forma correta é puxá-lo gradativamente com o botão de destravamento pressionado. Evite que as rodas traseiras travem totalmente, afinal é mais difícil controlar o carro assim.

VIRA E SE JOGA!

Fazer ziguezague e aumentar o atrito dos pneus com o solo também diminui a velocidade. Só tome cuidado com os outros motoristas. Em último caso você pode usar o guard-rail da rodovia raspando seu carro contra ele para diminuir a velocidade. Os danos materiais valem menos do que a sua vida.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários