Comprou um carro com defeito? Saiba o que fazer

Veja dicas para não sair no prejuízo

Fotos: Divulgação |

Você acabou de comprar o carro dos seus sonhos e ele já está dando problemas? Fique calmo e saiba o que fazer para não perder o dinheiro investido nas dicas a seguir.

Não gostou do que?

Antes, vale lembrar, há uma grande diferença entre defeito de fábrica e, simplesmente, não gostar do carro. Um automóvel não é um sapato que você vai lá e troca. Saiba exatamente diferenciar um defeito de uma insatisfação antes de requerer direitos.

A compra muda tudo

Se o carro apresentou um defeito, mas você o comprou de um terceiro, e não na concessionária, mesmo que 0km, não deve se amparar na defesa do Código do Consumidor para entrar na Justiça e pedir troca ou a devolução do dinheiro, e sim no Código Civil que engloba essa espécie de dano material.

Como reconhecer?

Em caso de problema mecânico, primeiro a fabricante fará uma inspeção no seu carro em uma concessionária para tentar solucionar o problema. Caso ele se repita no seu uso você deve pedir um documento da fabricante que ateste o funcionamento perfeito do carro. A partir daí você pode fazer outro laudo independente que acuse o defeito e acionar a Justiça com base no Código do Consumidor.

Batido? Devolva já

Caso você descubra que o carro foi batido, e tenha passado por funilaria ou tenha sido repintado, você pode devolver o carro na hora e pedir a devolução do dinheiro, ou a troca por outra unidade igual e sem o defeito. O nome disso é "vício oculto", um termo para identificar avarias de difícil detecção na hora da compra.

Trocou? Fique quieto

Apesar de a troca em 30 dias sem a solução do defeito estar na lei, é raro que isso aconteça com carros. No entanto há casos em que as fabricantes abrem essa exceção, contudo tudo deve ser feito regido por um termo de confidencialidade por parte do consumidor, para que não se abra um precedente comercial ou jurídico.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários