Toyota Corolla

Por Gustavo Henrique Ruffo / Projeção: João Kleber Amaral - Publicado na edição nº 63 (mar/2013)

O conceito Toyota Corolla Furia, mostrado no Salão de Detroit em janeiro deste ano, foi considerado uma antecipação da 11ª geração do sedã médio da Toyota. Mas quase não houve tempo para suspense: menos de um mês depois da apresentação do conceito, imagens do modelo de produção vazaram na internet. No fim, quem lê a C/D conhece o novo Corolla desde março do ano passado.

O que faltava saber eram as proporções do modelo, que o conceito tratou de antecipar. São 4,62 m de comprimento (8 cm a mais que o atual), 2,70 m de entre-eixos (3 cm a mais do que o Civic) e 1,81 m de largura. A altura do conceito, de 1,43 m, será maior. Não só porque a versão final, de produção, terá de ter mais espaço para a cabeça dos ocupantes, mas também porque o Corolla, no Brasil, precisará de um vão-livre maior que o do modelo americano.

Linha esportiva

As novas medidas darão ao carro, a exemplo do que se viu no conceito, uma linha mais esportiva e atraente, bem parecida com a que o Camry exibe. O carro trará colunas mais marcantes, com linhas retas e de ângulos bem definidos em relação à carroceria. O interior, ainda que mais refinado, continuará tradicional, com instrumentos analógicos e iluminação sóbria, a exemplo da que o modelo atual apresenta.

Os 2,70 m de entre-eixos serão o maior trunfo do futuro carro, que pena por ter o espaço interno mais modesto entre os sedãs médios à venda hoje no Brasil.

Os motores do novo Corolla não devem mudar, a não ser, talvez, por um novo sistema de partida a frio, sem a necessidade do tanque auxiliar. Continuarão em linha o 1.8 e o 2.0. O que muda, a pedido de todas as torcidas do Brasil, é o câmbio. Todos, agora, terão seis marchas, deixando para trás o antiquado automático de quatro marchas que ainda é oferecido no sedã.

Com estreia no exterior prevista para 2013, o sedã não chegará aqui com menos de seis meses de diferença. Isso joga a estreia da nova geração para 2014 no País.