fechar X
Assine

Aos poucos o maior segredo da Chevrolet vai perdendo seus disfarces. Car and Driver flagrou o Onix, o futuro substituto do Corsa, rodando em testes com pouca camuflagem. As imagens feitas por nosso fotógrafo-espião Diogo Dias, comprovam as linhas do compacto antecipadas por C/D na edição 55, que está nas bancas (confira as imagens). 

O hatch será a principal atração do estande da Chevrolet no Salão do Automóvel de São Paulo, que acontece em outubro. E será o último dos sete lançamentos previstos pela marca em 2012. No início do ano que vem, chega a versão sedã, que você conhece em detalhes da edição impressa de Car and Driver. Caso não aconteça mudança de última hora, o carro se chamará Onix, “sem acento, como o Omega”, diz uma fonte ligada à fábrica. A GM já registrou no Inpi o nome, assim como o domínio chevroletonix.com.br na internet.  

Na dianteira, os designers criaram faróis espichados que invadem boa parte do para-lama, além de uma grade avantajada – bipartida e filetada. Alto, o capô será curto e o para-brisa ficará levemente inclinado, “como era a ideia original no Agile.” A lateral será marcada por um forte vinco ascendente, como no Sonic. Atrás, o hatch terá lanterna com desenho caprichado e que avança sutilmente pela lateral. A tampa será mais clean, a fim de baratear o custo de produção. Desde a versão mais simples, a LS, o Onix terá aerofólio. Assim como no hatch, o sedã terá a placa posicionada no para-choque. O vidro traseiro será bem inclinado e a tampa do bagageiro, curta. As alças invadem o interior do porta-malas, mas a capacidade de bagagem será maior que a do Prisma (439 litros), carro que sai de linha com a sua chegada. A propósito, o sedã mata o Prisma e ocupa o lugar do Corsa Sedan, que já morreu. O hatch sucede o Corsa. Já o Celta se mantém como o compacto de entrada da marca. O Classic faz esse papel na parte dos sedãs (veja como fica a linha Chevrolet após o fim do processo de renovação). 

A princípio, o Onix será oferecido apenas na versão com transmissão manual. Mas a engenharia da GM desenvolve a opção que traz câmbio automatizado. Nas duas carrocerias, a novidade será vendida com motor 1.0 de até 78 cv e 9,7 mkgf de torque e 1.4, de 105 cv e 13,4 quilos de força. “Será um carro com forte apelo no custo-benefício”, diz a fonte. Ninguém na GM esconde a alta expectativa com a novidade, que deverá partir de R$ 30 mil. A meta a ser atingida é clara: o Gol e as primeiras posições no ranking de vendas.

Ed56

Leia também
Comente!*