fechar X

Por Equipe C/D // Fotos: Divulgação

Se sei, digo que sei; se não sei, digo não sei e pronto! É papo dez e tapas leves, e dá-lhe que é barbada. E pronto! O famoso bordão de Armando Volta, personagem interpretado pelo ator Davi Pinheiro, o “Sambarilove” da Escolinha do Professor Raimundo, cai como uma luva para a situação da Nissan com o Qashqai. Em setembro de 2015 a marca sabia que o SUV viria ao Brasil. Agora ela já não sabe mais.

A promessa era de que, nos primeiros meses de 2016, o modelo desembarcaria no País com motor 1.6 turbo e transmissão automática CVT. Não veio. A crise do mercado brasileiro de automóveis e o lançamento do Kicks já programado fez com que o Qashqai fosse para a geladeira. Mas se, ao longo de 2017, a Nissan mudar de ideia e resolver importar o carro, será uma bela adição ao segmento de SUV considerados médios, como Toyota RAV4, Hyundai ix35, Honda CR-V e Mitsubishi ASX. Nós já andamos e aprovamos.

Nissan Qashqai

SAMBARILOVE

O Qashquai tem porte de ix35 – 3 cm a menos de comprimento (4,38 m) e mesma distância entre-eixos (2,64 m). O porta-malas não é tão grande, mas engole 439 litros. A posição de dirigir, claro, é alta. No entanto, o SUV não se refestela nas curvas. A carroceria fica bem equilibrada. A baixa estatura do carro (1,59 m) contribui para isso. A direção é confortável, dá impressão que o Qashqai é menor.

O motor 1.6 turbo com injeção direta de 163 cv parece pequeno para carregar os mais de 1.300 kg, mas tem bom torque – os 24,5 mkgf aparecem já a 2.000 rpm. Não fica atrás dos 2.0 oferecidos pelos adversários japoneses e coreanos. Segundo a Nissan, o Qashqai leva 9,1 s para alcançar os 100 km/h. Já a máxima é de 200 km/h. Lá fora há versões com câmbio manual. Mas se o carro realmente vier ao Brasil usará a opção da transmissão automática CVT. Sambarilove!  

Nissan Qashqai

Leia também
Comente!*