F1

A Fórmula 1 pode contar com mudanças drásticas que vão muito além de novas regras para o desenvolvimento dos carros em 2017. Em entrevista para a agência de notícia Associated Press, Christian Horner, chefão da equipe Red Bull, confirmou que Bernie Ecclestone, o mandachuva da categoria, estuda introduzir um sistema de “grid reverso”. Ou seja, os carros mais rápidos nos treinos de classificação largariam do meio do grid e não mais na ponta.

A proposta, que será formalizada hoje (23) em uma reunião realizada entre as equipes em Genebra (Suíça), busca aumentar a disputa, aumentar o interesse dos fãs pelas corridas e, claro, alavancar os índices de audiência na TV.

Segundo informações de bastidores, pontos seriam distribuídos para os melhores dos treinos de sábado, o que incentivaria os pilotos e minimizaria a injustiça desse sistema. O grid invertido não é uma novidade no automobilismo. Categorias como GP2 e Stock Car, por exemplo, já utilizam o sistema há algum tempo apesar da crítica dos pilotos.

ULTIMATO

Ainda de acordo com Horner, essa reunião entre equipes e a FIA pode ser a última chance para aprovar novas medidas já para a temporada 2017. O regulamento da F1 diz que, após o dia 1º de março, qualquer mudança de regras para o próximo ano precisa ser aprovada por unanimidade por todos os envolvidos. Considerando o atual cenário da categoria, essa última opção é altamente improvável.