Fiat Strada

Fotos: Divulgação

Por fora, a Fiat Strada mudou bastante desde o seu lançamento, em 1998. Mas quase tudo que está por baixo da lata é o mesmo. O lado bom disso é que a picape consolidou qualidades como robustez e manutenção barata e fácil. E a versão Trekking 1.6 cabine estendida é a que melhor equilibra o uso para lazer e trabalho.

A versão não é tão básica como a Working 1.4 (88 cv) e nem exagera nos plásticos - e no preço - como a Adventure 1.8 (132 cv). O motor 1.6 E.TorQ de 117 cv é suficiente para não te deixar nervoso com o desempenho, mesmo quando a caçamba estiver cheia (a capacidade é de 685 kg). A suspensão traseira com feixe de molas aguenta a labuta.

Por ser versão intermediária e ter cabine estendida (que troca espaço na caçamba por uma cabine maior), as chances de ter sido utilizada para trabalho são menores. E os preços são interessantes: começam em R$ 31 mil para as unidades 2013, sua melhor safra. Tem ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas, air bag e ABS.

Fiat Strada

FIQUE LIGADO

Suspensão: É resistente, mas o conjunto não preza por conforto ou estabilidade.

Recall: Houve chamado para troca do fecho dos cintos de segurança para carros 2012 e 2013.

+ É boa de revenda e tem manutenção fácil e barata.

- Ergonomia ultrapassada e bancos sem apoio lombar tornam a condução cansativa.

RG DO CARRO

Motor: Dianteiro, 4 cilindros em linha, 1.6 16V, aspirado, flex

Potência: 117 cv a 5.500 rpm

Torque: 16,8 mkgf a 4.500 rpm

Transmissão: Manual de cinco marchas

Caçamba: 910 litros