Por Cauê Lira // Fotos: Renato Durães e Cauê Lira

Ele cresceu e apareceu, como aquele jogador do seu time que antes servia apenas para esquentar o banco de reservas e hoje é um titular consagrado. O Ford Ka SEL tenta demonstrar o seu valor na peneira brutal dos 1.0, com um público cada vez mais exigente e seletivo. E, nesse segmento, ou joga ou vai para o chuveiro. 

Por fora, ele exibe as linhas um pouco mais musculosas com orgulho, sem negar as influências atléticas que herdou do Fiesta. A linguagem visual da cabine está em dia, e a lista de equipamentos é uma das mais atrativas do jogo. Além do ar e da assistência elétrica, traz som com Bluetooth, chave tipo canivete com acionamento remoto e comandos elétricos dos vidros dianteiros e de travamento das portas. No banco traseiro, o Ka é um meio termo entre o Nissan March e o Hyundai HB20: dois adultos terão certa folga para as cabeças e espaço adequado para as pernas.

PAOLO GUERRERO

FORD KA SEL 1.0

  • + Equipamentos, consumo

  • -  Espaço interno, preço

  • Um ótimo hatch de entrada para quem não se importar em reduzir as marchas constantemente

Ele se enquadra na panelinha dos tricilíndricos, e não faz feio diante de rivais aclamados. Leva um certo tempo para se habituar ao motor 1.0 de 85 cv, mas a unidade estará sempre disposta quando você enfiar o pé. Em nossos testes, o Ka retomou de 80 a 120 km/h em razoáveis 15,1 s – quase o mesmo tempo de seu 0 a 100 km/h.

A ergonomia é boa e a direção elétrica está mais bem calibrada que a dos rivais. Enrijece de forma gradativa conforme o ponteiro do velocímetro sobe. Mas o que garante ao Ka a vaga de titular em nosso time é o consumo excepcional. Com etanol, o hatch marcou 10,2 km/l na cidade, chegando a 15 km/l na estrada.

As qualidades do Ka SEL 1.0 e o preço competitivo de R$ 44.490 fazem o modelo entrar em evidência pra quem busca um hatch completo. Mas adiantamos que as revisões até os 60 mil km são salgadas, por volta dos R$ 3.776. Nem sempre é fácil vender um jogador bom, ainda mais quando sua desvalorização é de 16% logo no primeiro ano.