Segredo: saiba tudo sobre o novo Renault Duster

A segunda reestilização fará do SUV uma opção mais refinada do que nunca, sem abrir mão da velha robustez

Fotos: Projeções: João Kleber Amaral | Texto: João Anacleto

 

Geralmente, os SUVs compactos que são muito refinados não aguentam o tranco de encarar lombadas, valetas e facões, sem molestar demais sua estrutura. Já os que conseguem encarar esses caminhos mais tortuosos, quase nunca têm os mimos que os clientes andam procurando, nem no estilo nem na lista de equipamentos. A não ser por um, o Duster, que aos poucos vai trazendo estes dois caminhos tão distantes a uma convergência. E isso ficará mais claro a partir da segunda metade de 2018, quando a Renault brasileira começará a produzir o SUV nacional com as mesmas mudanças que a Dacia apresentou do carro durante o Salão de Frankfurt, em setembro.

Para quem já achava o Duster com cara de raçudo, vai gostar ainda mais dele. Sobre a mesma plataforma B0 de sempre, ele ganha novas peças que inflam a sua aparência. Os para-lamas recebem alguns milímetros de largura, o capô está mais alto e até a inclinação do para-brisas está mais obtusa. Tudo para colocá-lo na mira de quem vê um SUV como a sua capacidade de sair da mesmice, e fazer coisas mais intensas. A grade dianteira foi esticada até as extremidades, como se os faróis estivessem colocados por cima delas.

CHOQUE DE REALIDADE

Por falar nos faróis, eles ganharão refinamento nas versões mais caras, com filetes de LEDs mostrando uma assinatura do modelo, e também iluminação por essas luzes, em vez dos faróis halógenos. O para-choques frontal também recebe uma espécie de prato de proteção resistente a riscos que lembra veículos 4x4 prontos para atravessar montanhas.

Na traseira você vai reconhecer o formato mais quadrado e com elementos internos que lembram bastante o que já vimos no Renegade, posicionadas bem nas extremidades. A barra de proteção também foi para o novo para-choques em formato “U”. A tampa traseira fica mais robusta e o vidro traseiro estará ligeiramente menor.

Além de choque de realidade externo, finalizado pelas belas rodas de 17”, que devem estar nas versões mais caras, o Duster passa por uma clínica geral no interior. Seus bancos perderam o formato chapo e ficam mais aconchegantes e anatômicos. No painel que ganha em elevação, as entradas de ar serão bem moldadas e agressivas, e o sistema multimídia também irá mais para cima se parecendo mais com um tablet acoplado ali. Algumas funções estarão em teclas bem abaixo da tela da central, e os comandos de ar-condicionado em botões redondos abaixo da tela.

Por fim, o painel de instrumentos passa a receber novos grafismos e haverá apliques de metal no console central, acima do porta-luvas, nas portas, volante e manopla de câmbio. Em algumas versões a cor externa acompanhará apliques plásticos internos, como nas molduras de portas-objetos, detalhes dos bancos e nas portas. Sob o capô, o Renault seguirá com os motores 1.6 SCe e 2.0 16V. Tudo para ser o “SUV médio barato” mais legal que você poderá comprar em 2018. Preços? Espere por algo entre R$ 65 mil e R$ 80 mil.

Renault Duster

Compartilhe esse conteúdo



Comentários