Dossiê: saiba tudo sobre o novo Uno

Compacto passará por reformulação estética, ganhará novos motores, start-stop e ESP de série

Por João Anacleto // Projeção: João Kleber Amaral

Lembra daquele Fiat Uno, pé-de-boi, quase sem conforto e com pouquíssimo luxo? Ele está com os dias contados. A Fiat quer transformar o compacto em um modelo com qualidades suficientes para competir com Chevrolet Onix e Hyundai HB20. Para tanto, prepara a sua revolução toda em cima dele. A versão que chega às lojas nas próximas semanas trará uma reestilização sensível, os novos motores que equiparão toda a linha de compactos e médios e equipamentos que você não encontra na concorrência deste segmento.

A começar pela plástica facial, o bisturi passará fazendo força na dianteira do carro. Esqueça o conceito Round Square, que mantinha todo e qualquer detalhe do carro no formato quadrado com cantos arredondados. O Uno vai ganhar agressividade, em especial na dianteira, onde os quadrados assimétricos darão lugar a formas mais esticadas e irregulares. Moldura dos faróis de neblina e faróis serão redesenhados, assim como as entradas de ar dianteiras. Na traseira, todos os modelos passarão a contar com as lanternas translúcidas com recortes quadriculados. O para-choques ganhará detalhes retangulares nas pontas imitando saídas de ar.

1.0 e 1.3

Por dentro o Uno manterá o padrão de acabamento que já havia subido em sua última restilização, na linha 2015. Receberá novas texturas para os bancos, mas manterá o cluster digital e terá a partir de agora opção de um sistema multimídia Live On, que faz o espelhamento completo do seu celular e com monitor tátil sensível ao toque. O carro trará a opção de controles de estabilidade e tração em todas as versões. O sistema start-stop, que era exclusivo da versão Evolution, passará a equipar todos os carros da linha independentemente do motor sob o capô, e é bem debaixo dele que estarão as grandes novidades.

A família GSE (Global Small Engine) de motores estreará exatamente no Uno, e o primeiro produto da safra será o 1.0 de 3 cilindros (aquele mesmo que equipará o Mobi a partir de outubro). Desenvolvido especialmente para os compactos Fiat pela FCA, o motor deverá produzir entre 80 cv e 82 cv e desenvolver até 10,5 mkgf de torque, números muito semelhantes aos do motor VW de mesma configuração que equipa os VW Up, Fox e Gol, e do Hyundai 3 cilindros, da família HB20. Contudo, ele não terá duplo comando de válvulas como os concorrentes, ou seja, serão apenas duas válvulas por cilindro. O que indica que ele terá mais torque em baixa rotação, no entanto, o consumo ficará em níveis piores do que, por exemplo, o VW com duplo comando e 12 válvulas.

Outra novidade será o motor 1.3, de quatro cilindros, que é um irmão maior do três cilindros. Feitos com a mesma tecnologia, este novo propulsor nada mais é que o 1.0 com um cilindro a mais. As versões Way e Sporting serão as únicas equipadas com motor 4 cilindros, e terão opção do câmbio Dualogic. Este motor terá 1.332 cm³ e, ao contrário do que a marca fez com o antigo Palio Fire 1.3 –  que na verdade era 1.2 (1.242 cm³) – desta vez a nomenclatura não subirá a litragem para 1.4 e ele será chamado de GSE 1.3. A exemplo do irmão tricilíndrico, terá comando simples de válvulas e sua potência será em torno dos 100 cv, já o torque ficará na casa dos 14,5 mkgf antes das 3.000 rpm.  Os preços do novo Uno partirão dos R$ 41 mil na versão 1.0, e poderão chegar aos R$ 47 mil na Sporting, topo de linha.

 Esse é o novo Uno, com pouca camuflagem na dianteira e entregando as mudanças estéticas pelas quais passará.  Repare nos novos faróis, mais esticados e na ausência dos quadrados arredondados, marca característica do Uno desde o seu lançamento. (Foto: Reprodução Uol Carros)

Compartilhe esse conteúdo



Comentários