Argo sedã é flagrado na Argentina e mostra 'linhas definitivas'

Conhecido como projeto X6S, modelo ainda não tem nome oficial. Lançamento no Brasil está marcado para os próximos meses

Fotos: Argentina Autoblog // Projeções: João Kleber Amaral | Texto: Carlos Cereijo

Depois de rodar durante vários meses como uma mula, emprestando a carroceria do Grand Siena, a versão sedã do Argo finalmente aparece com suas linhas definitivas, como mostra o flagra publicado por nossos hermanos de Argentina Autoblog. Apesar da camuflagem leve, é possível prever mais facilmente como será o design do carro – confira a nossa projeção e compare. Conhecido como Projeto X6S, o modelo ainda não teve o nome oficial divulgado pela Fiat. Sabe-se apenas que ele não será chamado de Argo Sedan, já que a marcar quer dar personalidade própria ao carro.

O modelo deve chegar na virada do ano importado da fábrica de Córdoba, na Argentina. A esperança da fabricante é que o sedã tenha mais sucesso do que o Linea e tire da Fiat a sina de não vender bem no segmento de sedãs médios. Um bom ponto de partida é o design, embora as linhas não acrescentem nenhuma inovação estilística.

O desenho do sedã usa a mesma filosofia de contornos envolventes, chamada de wrap around, que estreou na picape Fiat Toro. A dianteira herdada do Argo ostenta os afilados faróis com LEDs e a grade em colmeia. O capô com vincos dá cara esportiva ao sedã. As tomadas de ar nas extremidades dos para-choques são um truque para dar impressão de maior largura ao carro. Na lateral as caixas de rodas proeminentes chamam atenção. A traseira alta, que lembra um pouco a do Chevrolet Prisma, tem lanternas em forma de C. Elas são parecidas às usadas pelo Dodge Neon empobrecidas esteticamente com relação ao Tipo Sedan e Fiat Aegea.

Fiat Argo sedã

SIMILAR

O porta-malas é generoso. Segundo fontes consultadas por C/D, a capacidade deve ficar entre 500 e 520 litros. Ótima capacidade para um sedã que deve ter cerca de 4,30 m de comprimento. O painel, compartilhado com o Argo, tem três níveis. O mais alto tem as saídas de ar laterais e une visualmente as portas com uma linha. O nível intermediário conta com três saídas de ar centrais. Já no nível inferior há os controles no estilo tecla de piano. O volante segue a proposta esportiva do design, com base chata e empunhadura mais grossa na pegada das mãos.

O cluster vem com tela TFT de 3,5 polegadas de série e as versões mais caras tem o dobro, 7 polegadas. Esse também é o tamanho da tela do sistema multimídia com alta definição de imagem. Junte isso com as borboletas para trocas de marchas atrás do volante (para as versões automatizadas e automáticas), acrescente o sistema de auxílio de partida em rampa, controle de estabilidade, controle de tração, keyless e outras tecnologias, e você vai perceber que o sedã do Argo vem para a briga.

As opções de motor também são atuais. O sedã terá versão de entrada com motor três-cilindros 1.0 de 77 cv e 10,9 kgfm de torque, mas esta deve chegar apenas no segundo semestre de 2018. A intermediária vai usar o motor 1.3 de 109 cv e torque de 14,2 kgfm. As topo de linha terão motor 1.8 EVO VIS de 139 cv e 19,3 kgfm de torque. Todos os motores são flex e nenhum usa tanquinho de partida a frio. As opções de câmbio são manual e automatizada (esta só para o 1.3), ambas com cinco marchas. A maior novidade é o câmbio automático de seis marchas conjugado com o motor 1.8. Esta é a mesma caixa encontrada na picape Toro, mas com diferencial de relação mais longa.

Deve haver três versões, Easy, Precision e Lounge. Assim os clientes terão uma boa opção acima do Siena, a partir de R$ 48 mil até a faixa dos R$ 75 mil. Os pacotes de equipamentos devem ser generosos, com muita interatividade e tecnologia para atrair compradores de outras marcas que nunca consideraram a Fiat.

Fiat Argo sedã

Compartilhe esse conteúdo



Comentários