Volta Relâmpago Nº 9: 19 esportivos brigando na pista

Os carros mais alucinantes de 2017 acelerando juntos no maior desafio do mundo

Texto: K.C Colwell, Josh Jacquot, Tony Quiroga, Aaron Robinson e Eric Tingwall

Não foi proposital. Quando batizamos nosso teste de tortura anual como Volta Relâmpago há mais de dez anos, estávamos pensando em um sentido figurado. Rápido como um relâmpago. Esta VR também é uma fonte aliterativa de diversão e um pouco de constrangimento. Neste ano, o décimo primeiro no circuito mais severo dos EUA, o Virginia Internationa Raceway, passamos pelo apuro de ser atingidos por um relâmpago de 1 bilhão de volts, o que não é legal. Mesmo assim, pneus precisavam ser destruídos, nervos tinham que cantar. Não poderíamos desviar o nosso curso. Ao menos não até que a pista secasse.

Por alguns dias, a C/D transforma o melhor circuito dos EUA, o Virginia International Raceway (VIR), em uma espécie de Palácio do Jaburu. Bem-vindos, senhoras e senhores, a mais uma edição do Volta Relâmpago! Passamos os quatro meses anteriores procurando os melhores carros novos e assegurando que teríamos todo o equipamento de cronometragem, capacetes, água, comida e refrigerantes de adulto que pudéssemos precisar. Depois nos demos três dias para destilar todos os carros em um único número: um tempo de volta nos 6,6 km do Grand West Course do VIR.

Volta Relâmpago

Para virar um bom tempo no VIR um caro precisa navegar com destreza por todo tipo de curva imaginável. Dobras rápidas e hairpins fechados, aclives e declives, e uma curva aterrorizante com inclinação negativa à esquerda (estamos falando da Curva 10). Este é nosso benchmark, o teste que mostra o que um carro pode fazer de verdade porque por mais que tempos de aceleração de 0 a 100, distâncias de frenagem e aceleração lateral máxima digam algo sobre um carro, um grande circuito mostra como tudo isso fica junto. E você não encontrará um circuito mais desafiador com essa extensão nos EUA. O VIR é severo com os freios e pneus, e exaustivo para os pilotos. O VIR é um teste tão bom sobre a capacidade dos veículos que a GM, a Ford, e a divisão SRT da Fiat Chrysler o alugam para desenvolver seu carros mais recentes.

Por 10 anos quase sempre conseguimos evitar o mau tempo. Mas desta vez, na Volta Relâmpago 11, os céus despejaram seu lastro sobre o VIR por dois dias e meio dos três que havíamos agendado. Nenhum planejamento do mundo pode prever as travessuras da Mãe Natureza.

Aqui está uma cena desmoralizante: um grupo de entusiastas desanimados, sentados em um paddock alugado com 19 dos melhores carros esportivos enfiados nas garagens. Dava para ouvir o dinheiro gasto no aluguel da pista sendo levado pela chuva. Testamos as águas no circuito, por assim dizer, no maravilhoso novo Honda Civic Si, no Subaru WRX com o pacote Performance e até no Porsche 718 Cayman S de quatro cilindros Mas os monstros de pista com o Mercedes-AMG GT R, o Chevrolet Camaro ZL1 1LE, o Nissan GT-R Track Edition e o belíssimo Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio permaneceram imóveis. Assim que uma linha seca começava a se formar, chovia de novo.

Volta Relâmpago

AS AUSÊNCIAS

O tempo de inatividade permitiu que ponderássemos sobre o porquê de dois dos carros mais aguardados do ano não estarem presentes: o Ford GT e o Lamborghini Huracán Performante. A Lamborghini tinha uma desculpa decente, uma vez que estava lançando o carro na Europa e não tinha exemplares nos EUA. A Ford, por sua vez, não deu justificativa alguma. Ficar sentado pensando nisso enquanto a chuva caía só nos deixou cada vez mais irritados, depois tristes, porque não podíamos dar nenhuma volta; depois ficamos ainda mais irritados com o tempo. É um círculo vicioso. Por sorte a pista teve um cancelamento e a semana seguinte ficou livre, bem como o céu. Então guardamos tudo e voltamos 72 horas depois.

Como nos anos anteriores, agrupamos os carros por preço (do VR1 para carros de até US$ 35.000, ao VR4, para carros de US$125.000 a US$ 249.999). O preço básico inclui opcionais que melhoram o desempenho do carro, como upgrades de freios, pneus e chassi porque acreditamos que um carro de US$ 30.000 com US$ 10.000 de opcionais de desempenho deve ser comparado com outros carros de US$ 40.000.

Volta Relâmpago

Também convidamos quatro sedãs grandes, mas um deles, o Mercedes-AMG S63, não estava disponível, por isso nossa categoria VRTransporter tinha apenas três carros: o Audi S8 Plus, BMW Alpina B7 e o BMW M760i. Eles não foram tão lentos ou deslocados na pista como você talvez esteja imaginando.

Equipado com os data loggers com GPS da Racelogic no painel, nos capacetes e na cabeça, e GoPros instaladas nos carros, nossos cinco editores atacaram o VIR na segunda-feira da forma que havíamos planejado na semana anterior. No fim o tempo estava bom. E os carros, melhores ainda.

Quer continuar lendo essa reportagem animal? Então garanta já a sua edição 118 da Car and Driver sem sair de casa → http://bit.ly/2zpXNbx

Compartilhe esse conteúdo



Comentários