Confira quem subiu e quem desceu no primeiro semestre

Mercedes quase dobra sua participação de mercado nos seis primeiros meses do ano. Já a Citroën viu seu share diminuir em um terço

Ao lado de Honda e Toyota, luxuosas alemãs foram as que mais aumentaram sua participação de mercado no primeiro semestre

Por Marcelo Moura // Fotos: Divulgação

Você está cansado de saber que 2015 vem sendo um ano de crise na indústria automotiva. Segundo dados da Fenabrave, 1.269.851 carros foram vendidos nos seis primeiros meses desse ano, queda de 19,76% em relação ao mesmo período de 2014 – quando 1.582.569 unidades foram emplacadas.

SOBE

Mas saiba que o momento ruim não atinge todo mundo: algumas montadoras analisam o cenário como um momento de oportunidade e veem sua participação de mercado crescer consideravelmente enquanto outras despencam. É o caso, por exemplo, do segmento de luxo. Embalada pelo sucesso do GLA e da nova geração do Classe C, a Mercedes lidera o ranking de quem sobe ao quase dobrar sua participação de mercado – de 0,43% para 0,72%. Audi e BMW também seguem a fila com a equação “A3 Sedan + Q3” e “Série 3 + X1”, respectivamente.

Intrometidos no meio das luxuosas alemãs estão os japoneses de Honda e Toyota. A primeira nada de braçada no rentável segmento dos SUVs com o HR-V, que emplaca cerca de 5 mil carros por mês e está prestes a passar o eterno líder Ford EcoSport mesmo com três meses a menos na conta – o Honda só foi lançado em meados de abril. Já a segunda trabalha no sucesso do Corolla, que reina sozinho em seu segmento e chegou a bater também carros mais baratos, como o Uno, nos emplacamentos mensais.


DESCE

Na contramão dessa turma estão as irmãs francesas Citroën e Peugeot. A Citroën viu dois de seus maiores produtos despencarem nas vendas: o C3 passou de 15.496 unidades vendidas no primeiro semestre de 2014 para 8.658 em 2015, enquanto o C4 Lounge caiu de 4.973 carros para 2.947. A Peugeot, por sua vez, mantém apenas um produto com média alta de vendas: o 208 emplacou 7.863 unidades. Vale lembrar, porém, que a Peugeot ainda não colheu os frutos do 2008, maior lançamento  da marca no ano e que deve equilibrar um pouco os números daqui pra frente

As gigantes Fiat e Volkswagen caíram no mesmo ritmo da crise com a queda nas vendas de seus produtos de maior volume: Palio e Gol.  O compacto da Fiat vendeu 82.564 unidades no primeiro semestre de 2014. Em 2015 esse número caiu para 62.757. Já o Gol despencou de 93.602 carros para 44.900. A Chery completa a lista com o aumento da concorrência no segmento de SUVs, onde o Tiggo viu sua participação cair em quase 50%.

Confira abaixo os rankings dos cinco que mais ganharam e perderam terreno no primeiro semestre de 2015 em relação ao mesmo período de 2014.

1º Mercedes 0,43% para 0,72% = Crescimento de 67,44%

2º Audi 0,39% para 0,61% = Crescimento de 56,41%

3º Honda 3,89% para 5,76% = Crescimento de 48,07%

4º Toyota 5,32% para 6,83% = Crescimento de 28,38%

5º BMW 0,45% para 0,57% = Crescimento de 26,66%

 

1º Citroën 1,88% para 1,26% = Queda de 32,97%

2º Peugeot  1,43% para 1,01% = Queda de 29,37%

3º Chery 0,28% para 0,23% = Queda de 17,85%

4º Fiat  21,62% para 18,64% = Queda de 13,78%

5º VW 17,61% para 15,5% = Queda de 11,98%

Compartilhe esse conteúdo



Comentários