Ferrari Portofino é apresentada em Frankfurt

Novo modelo substitui a California T no degrau mais baixo da marca de Maranello

Fotos: Raphael Panaro e Divulgação |

A grande estrela da Ferrari no Salão de Frankfurt é a aguardada Portofino, novo modelo que substitui a California T no papel de carro mais barato da marca de Maranello. Com nome inspirado no famoso e luxuoso vilarejo italiano, a Portofino traz transmissão de dupla embreagem e sete velocidades trabalhando em conjunto com o V8 3.9 biturbo de 600 cv e 77,5 mkgf. Ou seja, são 40 cv a mais que na sua antecessora.

O aumento na potência veio depois de uma “reforma” no motor, que ganhou pistões e bielas redesenhados além de um novo coletor de admissão. O sistema de escape também ganhou nova geometria para diminuir a interferência do turbo lag.

A Ferrari crava que o GT é capaz de acelerar até os 100 km/h em 3,5 s e atingir uma velocidade máxima de 320 km/h. Com distribuição de peso 46%-54%, ele também é mais leve que a California T graças ao novo chassi de alumínio e o uso do material na capota rígida retrátil. A proteção, aliás, leva 14 segundos para ser completamente aberta ou fechada.

Se o design não traz nada de muito novo, o interior está mais intuitivo e recebeu o combo volante mais tela touch de 10.2’’ da GTC4 Lusso. Direção com assistência elétrica (7% mais direta que a hidráulica da California T, segundo a Ferrari) e atualização do sistema de amortecedores magnéticos completam o pacote de mudanças.

Os preços ainda não foram revelados, mas espere por algo em torno de 200 mil euros na Europa. Por ser o modelo mais acessível da marca, o modelo – assim como sua antecessora – também deve ser oferecido no Brasil em 2018. O preço? Cerca de R$ 2 milhões.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários