F1 muda sistema de classificação já em 2016

Com a novidade, pilotos mais lentos serão eliminados durante as sessões

Foto: Divulgação

A proposta de grid invertido para 2017, desejada por Bernie Ecclestone, o mandachuva da Fórmula 1, não foi aceita. Mas a reunião realizada ontem (23) em Genebra, na Suíça, com as principais equipes da categoria e a FIA surpreendeu e alterou consideravelmente os treinos classificatórios para as corridas já na temporada desse ano.

Apesar de o novo sistema ser aprovado pelas equipes e pela comissão da F1, a proposta ainda precisa ser oficializada pelo Conselho Mundial, no dia 4 de março. É bem difícil, porém, que ela seja vetada.

O conceito continua o mesmo: são três sessões – com sete pilotos sendo eliminados em cada uma das duas primeiras – para ver quem larga na pole. A diferença é que agora um piloto pode cair fora durante a sessão e não mais apenas no final dela. Parece confuso? Um pouco. Então confira abaixo os detalhes.

Q1

- 16 minutos de duração

- Após 7 minutos, o piloto com a volta mais lenta é eliminado.

- Após a primeira eliminação, o piloto mais lento a cada 1m30s também sai da disputa. Ou seja, eles terão apenas 90s para tentar se salvar.

- 7 pilotos eliminados. 15 avançam para o Q2.

Q2

-15 minutos de duração

- Depois de 6 minutos, o mais lento é eliminado.

- Após isso, o piloto mais lento a cada 1m30s também sai da disputa.

- 7 eliminados. 8 avançam para o Q3.

Q3

- 14 minutos de duração

- Depois de 5 minutos, o piloto mais lento é eliminado

- Após isso, o piloto mais lento a cada 1m30s também sai da disputa.

- Os dois pilotos restantes decidem a pole em 1m30s.

A ideia é aumentar a disputa e evitar longos tempos sem nenhuma ação durante as sessões. Com o novo sistema, Lewis Hamilton, por exemplo, pode largar nas últimas posições caso calcule mal sua estratégia para a tomada de tempo ou cometa um erro crucial durante uma volta.

A expectativa é que a dupla na primeira fila seja bem menos previsível do que nos últimos anos. A temporada 2016 da Fórmula 1 começa no dia 20 de março, com o GP da Austrália.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários