Ford Focus RS enfrenta Subaru WRX STI e VW Golf R

O novo Focus RS encontra seus rivais para uma batalha nas estradas francesas

Por Mike Duff // Fotos: Charlie Magee

A Europa nos deu os hot hatches, e por isso decidimos retribuir a gentileza escolhendo o velho continente para nosso primeiro comparativo com o ansiosamente aguardado Ford Focus RS. Pegamos o carro em Valência, na Espanha, onde aconteceu sua apresentação, e fomos para a fronteira com a França, onde fica a pista de testes da Michelin em Salon-de-Provence – e algumas das estradas montanhosas mais espetaculares da região. É onde descobrimos se este super-herói de tração integral faz jus à expectativa gerada em torno dele.

Esta também é uma chance bem-vinda de confirmar muitos dos estereótipos conhecidos sobre a França e os franceses – e nenhum deles é mais verdadeiro que a tendência local para atribuir dois pesos e duas medidas. Este é o país europeu que reclama mais alto sobre o imperialismo cultural americano, e mesmo assim todo McDonald’s daqui vive lotado. Durante nossa visita também vimos a notícia de que o primeiro-ministro que luta para impedir evasões fiscais estava sendo julgado por... evasão fiscal. Mas talvez a maior prova da hipocrisia gaulesa veio na calorosa recepção que recebemos e o interesse dos nativos (que em sua maioria dirige carros econômicos a diesel) em nosso exótico trio. O que aconteceu com o tradicional esnobismo francês?


NO BRASIL, NEM R, NEM RS

No papel, o RS começa com clara vantagem sobre Subaru WRX STI e Golf R, a dupla que será desafiada pelo Focus: seu motor 2.3 turbo é baseado naquele do Mustang EcoBoost, e é calibrado para produzir 350 cv. Ele envia a força para o asfalto por meio de sistema de transmissão inteligente o bastante para defender seu próprio doutorado, com embreagens controladas separadamente de forma eletrônica, distribuindo o torque para cada uma das rodas traseiras. Por US$ 36.600 sem opcionais, ele custa mais que o dobro do Focus S sedã. O preço refere-se ao mercado dos EUA: infelizmente, a Ford não importa o RS para o Brasil. Golf R? Não, também não veremos esse foguetinho tão cedo.

Ridículo, talvez, mas é o que você precisa gastar neste segmento. O Volkswagen Golf R custa quase o mesmo em sua forma básica, U$ 36.470. Com uma versão de 296 cv do 2.0 turbo da Volkswagen, ele tem menos potência que o RS e um sistema de tração integral menos avançado da Haldex, que não se compara ao sistema inteligente de distribuição de torque do Ford. O R é o único carro do grupo oferecido com câmbio automático como opcional – o DSG de seis marchas e embreagem dupla da VW.


Por último, o diferentão: o Subaru WRX STI, que se distinque dos demais pelo fato de ser um sedã, e não um hatch. Sem placa na dianteira, ele deve tornar um encontro com a gendarmerie, a polícia francesa, algo bem interessante. O WRX compartilha o mesmo layout mecânico que a Subaru usa há décadas, como se ele tivesse sido apresentado à fabricante pelo Todo Poderoso nas tábuas da lei.

Um flat-4 turbo fornece potência para todas as rodas através de um diferencial central com distribuição de torque ajustável no STI e com deslizamento limitado nos diferenciais dos dois eixos. Por US$ 35.490, ele é ligeiramente mais barato que os demais, mas uma seleção abrangente de opcionais pode transformá-lo no mais caro do grupo quando servido, como se diz na França, a la carte.


Quer conferir o resto da batalha entre esses três carros animais? Então, basta correr para a banca mais próxima, ou se preferir, adquira a edição 103 de Car and Driver sem precisar sair de casa → http://bit.ly/2bDCgfN

Compartilhe esse conteúdo



Comentários