Audi R8 enfrenta Porsche 911 Turbo e McLaren 570S

Com desempenho para rivalizar com os titânicos hipercarros, estes são os três supercarros mais em conta que você pode comprar

Por Daniel Pund // Fotos: Marc Urbano

Não há uma forma aceitável de começar uma história sobre esportivos com mais de 500 cv no motor e sete dígitos na etiqueta incluindo uma referência àquela categoria de quase-peruas conhecida como crossovers. Mas relaxe: como no segmento dos aventureiros, os esportivos agora têm tantas subdivisões que exigem nomes cada vez mais específicos para classificá-los.

Antigamente você tinha os esportivos e os carros comuns. Depois vieram os supercarros, aquelas coisas insanas, geralmente com motor central-traseiro e perfil de cunha ou flecha. Mas por que parar por aqui? Por que não criar algo diretamente vindo do universo aeroespacial e adotar uma categoria ainda mais extrema? Assim nasceu o hipercarro. Com isso, entre o mundano Mazda MX-5 Miata e a milionária Ferrari FXX K, as marcas correram para preencher cada intervalo de potência e preço dessa categoria. Pronto! Inventaram mais uma.

SUPERCARROS POPULARES


Posicionados no terceiro degrau da escala de desempenho temos o setor mais competitivo, o dos carros de US$ 200 mil a preços de EUA e ao qual chamaremos de supercarros de entrada. Por essa quantia, você pode esperar uma peça ou outra de fibra de carbono, 550 cv ou mais, motor traseiro, 0 a 100 km/h em menos de 3s, velocidade acima dos 320 km/h e câmbio automatizado de embreagem dupla. Os irmãos menores da Ferrari 488 GTB e do McLaren 650S representam um ponto no qual eles estão em uma posição de entrada, mas oferecem aparência e desempenho próximo ao de nomes como Bugatti Veyron, La Ferrari e McLaren P1, mas por um décimo do preço.

O primeiro na briga é o Audi R8 de segunda geração. Sutilmente redesenhado e sem a opção de câmbio manual, o R8 é o irmão do Lamborghini Huracán, que fica um degrau acima, mas compartilha muito de sua estrutura de fibra de carbono e alumínio, sistema de tração integral, e o V10 girador instalado em posição central traseira. Nosso carro tem o sufixo Plus, o que significa que seu V10 5.2 produz 618 cv (70 a mais que no R8 V10 básico) e que ele tem uma dose generosa de moléculas de carbono, incluindo a asa traseira, vários detalhes de acabamento e freios de carbono-cerâmica. Em seu preço básico de US$ 192.450 (lembre-se, estamos falando de valores dos EUA), o R8 V10 representa economia de quase US$ 40 mil em relação ao Huracán LP610-4. A Audi inflou o preço do carro testadi para US$ 202.750 com a inclusão do sistema de áudio Bang & Olufsen, interior de couro com costura contrastante nos bancos com ajustes elétricos de 18 posições e rodas de 20 polegadas.


O R8 pode ser uma pechincha se comparado ao Huracán, mas o novo Porsche 911 Turbo S corta mais US$ 10 mil do preço do Audi avaliado graças ao preço básico mais baixo e à lista de opcionais curta para os padrões da Porsche. As atualizações dessa versão 991.2 do Turbo S são, em sua maioria, mudanças em detalhes, embora o motor produza 20 cv a mais graças a um turbo maior e novas portas de admissão. O 911 Turbo S representa uma resposta diferente para o dilema do esportivo de US$ 200 mil pelo fato de ser a mais elevada expressão de desempenho voltado para as ruas em sua linha – que inclui um modelo básico quase US$ 100 mil mais barato. Ele parece grande e lento ao lado dos rivais deste comparativo.

O McLaren 570S é a prova da popularização da tecnologia. Este modelo mais recente e mais barato da McLaren ganhou uma versão de monocoque de fibra de carbono e o V8 3.8 dos modelos mais caros da fabricante, o 650S e o P1. Criado para roubar algum dinheiro da franquia Porsche Turbo, o 570S perdeu a engenhosa suspensão hidráulica e a aerodinâmica ativa de seus irmãos maiores para reduzir seu preço para competitivos US$ 187.400. O carro testado foi equipado com todos os opcionais, elevando o total para US$ 219.770. Embora seja um tiro direto no Porsche, com um motor de cilindrada semelhante e indução forçada, o McLaren apresenta uma fisionomia muito diferente. Ainda que que motor produza praticamente a mesma potência (570 cv), seu design expressivo e suas portas diedrais acabam convencendo quem vê de fora que se trata de um carro em uma categoria diferente dos outros dois competidores. Mas os números dizem outra coisa.

 


 

Quer conferir o resto da batalha entre esses três carros animais? Então, basta correr para a banca mais próxima, ou se preferir, adquira a edição 104 de Car and Driver sem precisar sair de casa → http://bit.ly/2cFH9sp


Compartilhe esse conteúdo



Comentários