novo honda fit 2013

por Marcelo Cosentino


Todo facelift gera tensão. Mudar o visual de um carro, por menor que seja a reestilização, pode representar sucesso ou levar o carro à bancarrota. Quando se trata de um best seller da marca, como o Honda Fit, a situação fica mais delicada. Talvez com medo de errar na mão, os japoneses pegaram leve, muito leve com a atualização de seu monovolume. E acredite, isso é bom. Como diria o pequeno Jefferson, moleque que se transformou no mais novo viral do Facebook, "para nooossa alegriaaaa" o novo Fit 2013 é (quase) o mesmo de sempre.

As novidades visuais do compacto são rápidas assim: para-choques, para-lamas, faróis e grade. Tão discretas, que eu pensei duas, três, quinze vezes em efetivamente usar a palavra “novo” antes do nome do carro. A Honda mesmo usou luzes, brilho e outros efeitos visuais para destacar as novidades na apresentação do modelo. 

Outra novidade é a gama de versões devidamente enxugada. No passado já foram 10 opções do carrinho, na linha 2012 se transformaram em nove e, agora no modelo 2013, são seis. A DX, de entrada, só oferece câmbio manual. As intermediárias LX e EX têm opções de caixas manual ou automática, enquanto a topo de linha EXL, que deve corresponder a 20% das vendas do modelo, só é vendida sem embreagem. 

Na parte mecânica nenhuma novidade. Sob o capô ainda são oferecidos os mesmos 1.4 SOHC i-VTEC de 101 cv para as configurações DX e LX – que ganhou novo rádio, ABS e rodas 15’–, e 1.5 16V SOHC i-VTEC de 116 cv para a EX e a EXL. Para quem reclamava de autonomia o tanque cresceu de 42 para 47 litros.
honda fit 2013

ESTRANHO NO NINHO
Responda rápido: qual carro você gostaria de levar para um pequeno circuito de competição? Certamente o Honda Fit não deve figurar sequer entre suas 50 primeiras opções. Bem, mas foi nesse cenário muito legal, mas que não representa bem o dia-a-dia do modelo, que tivemos contato com o Fit 2013

Ao levar o monovolume para a pista a sensação era de encontrar um amigo de longa data que eu havia perdido contato. Papo vai, papo vem, fiquei feliz em ver que o Honda Fit é o mesmo de outras épocas. Com o motor 1.5 de 116 cv, o carro se mostrou esperto no circuito travado da Fazenda Capuava, no interior de São Paulo. Méritos para a opção de troca de marchas através de borboletas atrás do volante, inédita nesta versão, que arrancou sorrisos e gotas de suor. 

honda fit

Apesar do porte "altinho", o Fit surpreende pela estabilidade. Mas... isso não é novidade. Desde a renovação do modelo, em 2009, as bitolas da suspensão já haviam crescido 3 cm melhorando sua desenvoltura e deixando o carro sempre colado ao chão. A carroceria torce o mínimo e o carro não ameaça sair de frente. Ponto positivo.

Deixamos de lado o carro com o motor 1.5 para levar seu irmão menos potente para a pista. Os 15 cv de diferença mudam o comportamento do carro. O Fit 1.4 é comportado e tem retomadas menos vitaminadas. Na pista, faltou motor para a versão. Na cidade, para onde o carro foi pensado e criado, esse problema provavelmente não existirá. Dinamicamente, no entanto, o carro é igualmente exemplar. 

No fim valeu o manjado ditado "em time que está ganhando não se mexe". A Honda fez pouco com o novo Fit. E isso é bom. O carro segue gostoso de dirigir e com um espaço interno surpreendente. Para nossa alegria!

Preços do novo Honda Fit 2013


Honda Fit DX 1.4 M: R$ 51.800
Honda Fit LX 1.4 M: R$ 55.700
Honda Fit LX 1.4 AT: R$ 58.900
Honda Fit EX 1.5 M: R$ 62.120
Honda Fit EX 1.5 AT: R$ 65.720
Honda Fit EXL 1.5 AT: R$ 67.720

Jogo dos 7 erros

honda fit novo e antigo

honda fit novo e antigo