Nissan Versa

por Shapur Kotwal

Fomos a Washington, nos Estados Unidos, avaliar o novo Nissan Versa, que desembarca no Brasil já no próximo mês. Washington? Sim, o mexicano Versa será um carro global, e, diferentemente de outros rivais, o global aqui inclui o primeiro e o terceiro mundo. Mas, afinal, o Versa vale a viagem? O que ele traz de novo? Devo esperar? Essas foram as três perguntas que mais ouvi no último mês. E em todas as respostas eu começo a frase assim: “Bom, vamos lá.”

De cara, vale dizer que os japoneses colocaram todas as suas ambições e esperanças no Versa. Para você ter ideia, a fabricante pretende que este carro seja o sedã mais vendido nos EUA, na China e na Índia. Modestos os caras, não? Qualidades ele tem, como veremos adiante, mas é inegável que o desafio é monstruoso.

Nissan Versa

Com toda a justiça, porém, o Versa não é um simples sedã compacto. Neste projeto, a Nissan pensou em como corresponder a todos os desejos de compradores tão distintos como o americano e o indiano. Da folha de  papel em branco ao teste final, os japoneses ralaram para produzir um carro espaçoso, potente e barato. Taí o motivo do atraso no desenvolvimento, que levou ao todo quatro anos - em média, são três.

“Ser barato era premissa do projeto”, me explicou um engenheiro da marca. A saída foi convocar a Renault. As duas fabricantes mantêm aliança que divide custos e know-how. O motor a gasolina incorporado ao Versa, por exemplo, é fruto  dessa parceria. Terceirizaçãodos fornecedores de peças e sistemas de chassis também foram arrancados dos franceses para que a plataforma V, inaugurada pelo March, tomasse forma. Outros pontos-chave que fazem com que a plataforma renda a sonhada vantagem competitiva são a redução de 20% no uso de componentes e o corte de 100 kg de peso na estrutura.

Nissan Versa

Nissan Versa: estilo e espaço


Enquanto o desenho do March é moderno e ousado, o Versa não esconde a sobriedade de suas linhas. Mas nada que o aproxime do insosso Renault Logan, que transpira simplicidade e baixo custo. A frente é riscada por desenhos arredondados, com  grade cromada assimétrica e faróis cuidadosamente detalhados. Repare que há um leve vinco no capô que adiciona ares musculosos ao Versa. Não é um sedã bombado; apenas em forma.

O Nissan tem entreeixos de 2,60 m, medida de Toyota Corolla. Sente no banco traseiro e você terá a sensação de que há mais espaço no japonês do que (imaginem!) no Peugeot 408, atual referência neste quesito. Assentos mais finos e o painel curto reforçam o milagre da multiplicação de  centímetros.


Nissan Versa

Mesmo com os bancos da frente na última posição, ainda há espaço traseiro suficiente para as pernas de um adulto de 1,80 m. Além do decente apoio para as coxas, o piso do Versa é plano, igual ao do Civic. No entanto, a queda do teto a partir da coluna central o força a sentar em uma posição pouco mais baixa do que a ideal, fazendo com que o encosto seja mais inclinado do que deveria. Mas, na boa, isso não abala o conforto que, no geral, é bem superior ao dos rivais diretos.

O refinamento na cabine prossegue. Os mostradores exibem aros cromados, enquanto o volante e as maçanetas são revestidos por uma espécie de acrílico metálico. No geral, a qualidade dos plásticos e do acabamento está acima da expectativa. É óbvio que alguns materiais mais baratos foram usados, como nos controles de ar-condicionado No entanto, a cabine bem pensada traz seis suportes para copos grandes, uma quantidade razoável de espaço para armazenamento (console e porta-luvas) e conectividade USB/iPod, assim como Bluetooth. O porta-malas comporta 420 litros de bagagem, 50 l a
menos que o do Corolla.

Nissan Versa

Versa tem dinâmica de carro grande

Nissan VersaEntão o novo Versa é muito espaçoso e prático, mas será que ele roda como gente grande? A resposta é sim. O Nissan traz a nova geração de motor 1.6, que possui inovações como comando de válvulas variável, dois injetores por cilindro, que melhoram a atomização do combustível, e lubrificação adicional para o pistão, para diminuir o atrito interno. São 103 cv e 15 mkgf, o que é força suficiente para empurrar o sedã, de pouco mais de uma tonelada.

O Versa quebra a inércia com energia. No entanto, no giro médio, perde fôlego e pouco adianta socar o acelerador para retomar a força inicial. Não tem saída: é preciso reduzir a marcha. O problema é a gritaria a bordo, devido ao isolamento acústico. Apesar de a Nissan se esforçar para distanciar o Versa dos sedãs populares, neste ponto ele é um Logan. Há uma versão (que também deverá estar disponível no Brasil) com transmissão continuamente variável (CVT). Essa é surpreendentemente boa, sem trancos e hábil para manter a rotação do motor no ponto ideal. Você também vai curtir a direção elétrica - muito bem assistida, precisa e ponderada. Nas curvas, porém, a carroceria rola mais do que deveria.

Apesar de alguns deslizes, o Versa é um sedã de baita qualidade: espaçoso, esperto, com acabamento bacana e com o melhor quesito: preço competitivo. Pense em um valor ao redor de R$ 40 mil, dizem fontes no Brasil. Ou seja: espere por ele.

Nissan Versa

Nissan Versa
Nissan Versa