fechar X
Assine

Por Mário Venditti // Fotos: Divulgação

Há alguns meses, o Peugeot 208 ganhou o novo motor Puretech 1.2 de 3 cilindros, que vem da França com as devidas adaptações para trabalhar com gasolina e álcool. Agora, o Puretech chega também no Citroën C3 e, a exemplo do que já ocorreu com seu primo, aposenta a versão 1.5.

Mas não ouse dizer a um engenheiro da Citroën que o compacto tem “o mesmo motor do 208”. É capaz de ouvir algo como “você não entende nada de carro”. É como transplantar o mesmo coração em dois organismos totalmente distintos. As reações em cada um deles podem ser muito diferentes.

Embora façam parte da mesma empresa, o Grupo PSA, eles querem ser tratados como produtos totalmente separados. O Puretech 1.2 equipa três versões do C3: Origine. Attraction e a topo de linha Tendance, testada por C/D. Por fora você não notará nenhuma modificação: é um C3 como outro qualquer, apenas com a inscrição PureTech na traseira, abaixo da lanterna esquerda.

Citroën C3 1.2

MAIS ECONÔMICO QUE O 208

Se a aparência é a mesma, o comportamento mudou. E ficou mais econômico que o – os engenheiros que nos desculpem – Peugeot 208. Apesar do corpanzil 27 kg mais pesado (1.100 kg contra 1.073 kg), o C3 rodou 10,4 km/l na cidade e fez ótimos 16,1 km/l na estrada, com etanol no tanque. O 208 cravou, respectivamente, 9,4 km/l e 13,8 km/l. Segundo a marca, tal desempenho foi alcançado com a redução de peças móveis e ao menor atrito no funcionamento do motor. No 0 a 100 km/h, no entanto, a leveza do Peugeot falou mais alto. O C3 demorou 14,1 segundos, 0,4 s a mais que o seu parente.

O Puretech fez bem ao 208 e também revigorou o C3 – que mantém as versões com motor 1.6. A direção está bem calibrada mesmo em velocidades mais elevadas e o nível de ruído é relativamente baixo (50 decibéis a 60 km/h, em quarta marcha).

O câmbio manual de 5 marchas teve uma redução de 9% no diferencial em comparação ao C3 vendido na Europa, favorecendo uma condução mais dinâmica e esportiva. Ele é preciso e obedece bem o motor com 90 cv de potência a 5.750 rpm e torque de 12,9 mkgf a 2.750 rpm.

Por dentro, um dos atrativos do C3 continua sendo o teto panorâmico Zenith que, uma vez aberto, aumenta a área envidraçada do para-brisa de 99 cm para 135 cm. Quando fechado, porém, ele bem que poderia ter acabamento um pouco melhor para eliminar as rebarbas nas extremidades. A central multimídia tem tela de 7 polegadas sensível ao toque e inclui funções como navegação e duplicação da tela do seu smartphone.

Além da economia do motor 1.2, é no pós-venda que a Citroën quer conquistar mais clientes. A campanha da marca é maciça: as três primeiras revisões têm preço fechado de R$ 365, ou seja, R$ 1 por dia. As revisões de 40 e 50 mil custam, cada uma, R$ 728 e a de 60 mil sai por R$ 884. O total? R$ 3.435, valor que está longe de ser considerado tão baixo.

Tabela

Leia também
Comente!*