Fiat Punto x Citroën C3

por Ícaro Bedani / Fotos: Leo Sposito - publicado na edição nº 57 (set/2012)

De segunda a sábado, 100 milhões de brasileiros param diante da TV para seguir a nova trama suburbana. O foco é a Classe C, que move a economia e que não se contenta com o básico: quer ir além. E os novos Punto e C3 refletem a nova realidade do Brasil. Mas qual deles merece ser o personagem principal das avenidas? Acompanhe as cenas dos próximos capítulos para saber.

Escrita por João Emanuel Carneiro, Avenida Brasil, a novela das nove, inova na linguagem, na fotografia e nos personagens. A imagem das luzes desfocadas na abertura da novela (e que reproduzimos na abertura desta reportagem) se tornou símbolo da busca pela ascensão social nos subúrbios do País. Na ficção, Carminha e Nina vivem uma trama de vingança. Em nossa história, Punto e C3, duas novidades modernas e acessíveis, portanto cobiçadas pela classe emergente, protagonizam o primeiro duelo.

Fiat Punto x Citroën C3

Você deve saber quem é Carminha. Pois o Punto segue a mesma estratégia da personagem central dessa história. Após supostamente armar a morte de seu marido Genésio, pai da antagonista Nina, Carminha leva uma vida de maldades ao lado do amante, Max. O desejo de estar no poder a move. Manter-se na liderança, assumida no começo do ano, também é o objetivo do Punto. Seu alvo é passar por cima dos outros hatches. E ele tem força para isso. O que pega é que as recentes mudanças estéticas e as sutis reformulações no motor 1.4 Evo da versão Attractive são falas frágeis demais diante do enredo refinado da concorrência. 

Fiat Punto x Citroën C3

Cara de Carminha

O Punto não é estreante dos palcos. Diante de personagens mais novos, a Fiat decidiu mudar a identidade visual, intocada há cinco anos. Uma espécie de retoque na maquiagem. Mudou por fora. E, por dentro, faltou atenção à ergonomia.

A plástica na dianteira fica restrita à grade frontal, agora dividida por um borrachão, e aos faróis redesenhados. São as mesmas formas do Punto Evo vendido na Europa. Para o motorista e seu acompanhante à direita, o espaço é bom. Atrás é que o bicho pega, mesma deficiência notada no C3: aperto para pernas e para a cabeça, devido ao teto baixo. É o preço do design arrojado.

Fiat punto

Boa posição de dirigir e preço mais em conta

Poderia ter mudado mais

Como Carminha, quer se manter no poder

Carminha nem sempre foi rica. Ela precisou enganar muita gente e aplicar uma série de golpes para ter status de emergente do Divino. O Punto não engana ninguém, pelo contrário. Entrega o que promete e cobra menos pela ascensão social. Ele conta com a versão de entrada Attractive de R$ 38.570, é mais barato do que o C3 Origin, de entrada (R$ 39.990), mas perde na quantidade de equipamentos. Também vem com direção hidráulica, ABS e dois air bags dianteiros, mas falta ar-condicionado, regulagens elétricas dos retrovisores e regulagem de altura e profundidade do volante, entre outros itens presentes no Citroën.

A Fiat revida. Optou por um comando de válvulas variável do motor 1.4 Evo, além da taxa de compressão, que passou para 12,3:1, e da tampa de válvulas em alumínio. Resultado: 2 cv a mais comparado ao modelo anterior. Gera agora 88 cv com etanol. Mas é pouco. Na hora do pega, o Punto leva 1,3 s a mais do que o C3 de 93 cv para alcançar os  100 km/h. Carminha grita – como já é comum –, mas não tem o que fazer. O Punto é 31 kg mais pesado que seu rival. Além do botox, a novidade da Fiat deveria ter passado por uma lipo. Porém, nas curvas, ele dá o troco. Sua suspensão também é bastante permissiva, mas não se compara com a maciez do conjunto do C3. Ei, Citroën, que tal dar uma pitada a mais de rigidez na suspensão nos próximos capítulos?O Punto melhorou, isso é fato. Mas, agora, seu concorrente direto aprendeu como se cativa o público. Carminha também foi descoberta e Nina não vai perdoá-la. 

Fiat Punto x Citroën C3

A vingança é um prato que se come frio. E Nina está nas telas de televisão há cinco meses sofrendo, chorando, buscando uma chance de fazer justiça pela morte de seu pai. A garota tem um foco. A Citroën também. O C3 realmente evoluiu, ao contrário do Fiat. Ele perdeu 38 kg em sua nova geração (agora são 1.110 kg). Tudo é novo. Ficou 9 cm mais longo e 4 cm mais largo, deixou de ser a mocinha da história e recebeu o motor 1.5i Flex (na verdade um 1.4) de 93 cv e 14,2 mkgf de torque a 3.000 rpm. E sobre o foco? Ora, Nina quer derrubar Carminha e o C3 ambiciona fazer o mesmo com o Punto. Simples assim.

Além de ser mais equipado, o Citroën tem acabamento mais refinado, com plásticos de qualidade superior e sem vãos entre as peças. Outra habilidade é a direção elétrica, que cai bem no trânsito e na hora da baliza. Alguns detalhes do novo C3 você encontra em outro personagem: o Aircross. Repare como as saídas de ar cromadas são iguais. Mas, ao contrário do Punto, a concepção da cabine é mais moderna. 

Fiat Punto x Citroën C3

Quem servirá quem

Carminha é puro veneno. Mas Nina não é boazinha. Os hatches também têm seus lados obscuros. Ambos não são baratos (beiram os R$ 40 mil) e, acredite, em nenhum é possível ouvir Vem Dançar com Tudo, o tal do “oi, oi, oi” da abertura da novela. O sistema de som é opcional nas versões de entrada. Aqui, não há mocinho. A coisa começa a ficar boa mesmo nas versões intermediárias: o Punto Essence (R$ 41.750) salta para o motor 1.6 e o C3 Tendence (R$ 43.990) passa a contar com o belo para-brisa panorâmico Zennith, que invade um terço do teto. As brigas entre Carminha e Nina rendem berros e palavrões jamais vistos em novela. Punto e C3 também curtem uma gritaria. É ruído em excesso vindo do motor e dos pneus. Mas, em ponto morto, o carro da Citroën se mostra mais silencioso.

Citroën C3

Perdeu o estilo de mocinha e ficou mais moderno

Poderia ser mais barato e ter suspensão mais rídida

Como a Nina da novela, quer dar a volta por cima

Aparentemente, é questão de tempo para que Nina alcance sua vingança. A cada novo capítulo o cerco se fecha para Carminha. E, no enredo dos hatches premium, o Punto começa a ser pressionado contra a parede. O C3 tem tudo para desbancá-lo: mais motor, mais espaço, mais modernidade, mais itens de série... João Emanuel Carneiro ainda não escreveu o final de Avenida Brasil, mas nós já adiantamos: a vingança de Nina está próxima e será maligna. 

 

 

Fiat Punto x Citroën C3
Clique na imagem para ampliar