honda civic x ford focus

Por Tony Quiroga - Fotos Robert Kerian

Ford Focus e Honda Civic
, dois sedãs que podem ser o seu primeiro passo no mundo das quatro portas. São carros que saciam sua sede por dirigir e impedem que sua sogra reclame de dores na coluna nas viagens. O Civic já desembarcou por aqui e o Focus chega ainda este ano para tornar sua vida um pouco mais divertida. Enquanto o duelo não acontece nas ruas, saboreie este aperitivo: o primeiro comparativo entre os dois carros.

 

2º Honda civic ex

Gostamos

Econômico, espaçoso e silencioso

Não gostamos

Macio, sedado, esterilizado. Sem tempero.

Conclusão

O Honda Civic mais jovial foi amadurecido

 

Não fosse a tragédia chamada tsunami, nessas alturas já teríamos um novo Civic desembarcando no Brasil. O terremoto no Japão estremeceu os planos da Honda, que marcou nova data para o lançamento: primeiros meses de 2012. Sem Civic novo por aqui, tivemos de recorrer aos nossos colegas americanos, que testaram a versão EX. O quadro de instrumentos é parecido com o que temos aqui, mas a novidade para 2012 são as duas colunas de luzes que emolduram o velocímetro e variam entre verde, verde-azulado e azul, dependendo de como tratamos o pedal do acelerador. Verde indica comedimento e azul, desperdício. Um gráfico digital em barras também indica a economia de combustível.

honda civic

Ficou clara a preocupação da Honda ao priorizar essas informações. Velocidade (ninguém quer ser surpreendido por uma multa), eficiência do combustível e luzes que encorajam o consumo consciente. Se parece pouco, ainda há o botão “econ” que adapta a aceleração, a transmissão e o controle de clima para maior economia. Funciona! Por diversas vezes, nos encontramos obsessivamente monitorando o consumo, nos esforçando para manter as luzes no verde. Como resultado, o Civic retornou o impressionante consumo médio de 14 km/l.

PONTO MORTO
Parece que os projetistas da Honda assumiram uma nova filosofia. As gerações anteriores gastavam mais energia no deslocamento dos pistões. No segmento em que caixas automáticas de 6 marchas viraram padrão, o Civic volta com a sua transmissão automática de 5 velocidades melhorada e mais eficiente.

honda civic

A marca abusa da tecnologia, sabemos disso, mas estranhamente o carro ainda não adotou a injeção direta em seus motores. Isso posto, não nos importaríamos com o modesto motor do Civic se ele tivesse nos entregado um pouco mais de força. As marcas de 9 s no 0 a 100 km/h e de 17 s (a 133 k/h) nos 400 m, foram decisivas para colocar o carro em segundo neste comparativo.

Na estrada, não é raro ter de reduzir para a terceira, forçando o Civic a buscar um pouco mais de potência. Parece que o carro está em ponto morto: você ouve o motor, mas tem a impressão de que está parado. O sedã ficou mais lento, mas os ruídos foram reduzidos – além disso, o motor soa mais distante do que nos modelos anteriores.

A suspensão visa o conforto. O deslocamento de carroceria é controlado, mas os amortecedores são menos rígidos que os da Ford. Enquanto o Focus tem o comportamento tenso em curvas, o Civic se mostra macio. A direção do Honda também decepciona – mais lenta do que antes e sem emoção. Fácil tirar de tudo isso a conclusão de que a Honda, esperta, está perseguindo consumidores que estão migrando dos grandes para os compactos. Mas, ainda assim, tivemos a apática sensação de dirigir um carro de porte maior no controle deste médio.

honda civic

 Achamos que nunca diríamos um absurdo destes, mas parece que foi a Honda, e não a Ford, que construiu o Lincoln Town Car. E, respeitando a linha do Lincoln, o Civic apresenta espaço mais do que satisfatório. Apesar do novo entre-eixos 2,5 cm mais curto, o sedã ainda carrega com conforto três passageiros atrás. O para-brisa e os vidros laterais são grandes, amenizando a sensação de confinamento, e oferecem uma boa linha de visão. Os bancos da frente, redesenhados, são mais agradáveis que os antigos, embora falte ao assento almofadas mais anatômicas, o que impediu que o Civic batesse o Focus em conforto. O Civic chegou à maturidade. E para um comprador que busca não só conforto, mas também desempenho, isto é um passo para trás. 

ford focus
 

1º Ford Focus 

Gostamos

Repostas dinâmicas e acabamento

Não gostamos

O câmbio automatizado é anestesiado

Conclusão

A Ford fez um sedã econômico e esportivo

O Ford Focus é muito melhor em sua versão com transmissão manual e sem o sistema batizado de “MyFord Touch”. Foi esse carro que gostaríamos de ter dirigido no comparativo, mas só conseguimos parte do desejado. Escolhemos a versão sem o navegador e isso nos livrou dos problemas com o rádio, mas acabamos optando pela versão automatizada. A justificativa?

O Civic EX não poderia ser comparado ao Focus com um pedal de embreagem. O resultado? Osedã da Ford retornou letárgicas partidas, ruídos nas (lentas) trocas de velocidade e trancos nas reduções de marcha. Ao menos, o câmbio automático de dupla embreagem tem seis velocidades. A transmissão parece estar completamente fora da harmonia dos Focus antigos. O robusto chassi, aliado à rígida estrutura e à rápida resposta da direção, dá a sensação de que o Focus pertence à classe dos carros alemães de luxo. Quando exigido, o motor Ford não rosna, nem nega fogo. O Contraste com o Civic é claro: o Focus sempre encoraja o motorista a dirigir mais rápido. Apesar da caixa automatizada. 

ford focus

O Ford poderia até ser mais ágil se o motor 2.0 de quatro cilindros retornasse mais do que 160 cv. Ainda assim, em virtude de seu torque de 20,18 mkgf, o Focus se deu melhor com a velocidade do que o Honda. O sedã registrou a marca de 8,1 s no teste do 0 a 100 km/h (0,5 s mais lento que o registro da versão com câmbio manual) e 16,3 s nos 400 m a 140 km/h (3 km/h mais lento). Mesmo perdendo de sua versão manual, o Focus é muito mais rápido que o Civic. 

ford focus

SOMA GERAL
O sedã também se mostrou muito econômico. Se há uma coisa que a transmissão automatizadado Focus faz bem é trocar a velocidade com agilidade, mantendo sempre o giro baixo. Também nos apaixonamos pelo design interior do Focus. O acabamento é muito superior ao do frígido Civic. Assim como no Mustang e no Taurus, os encostos dos bancos são próximos demais da nuca, mas os assentos são firmes e se ajustam com facilidade ao corpo, garantindo uma posição confortável para o motorista. Não há o tanto de espaço que há no banco traseiro do Civic, mas o assento garante aos passageiros mais conforto e segurança.

Some todos os prós e contras e o Focus bate o Civic. Nosso vencedor não deixa a desejar quando o assunto é economia e, ainda assim, oferece refinamento e melhor desempenho. O Ford bateu o sedã da Honda e, apesar da manca transmissão automatizada, se consagrou como o nosso sedã médio preferido neste duelo familiar.

 

honda civic x ford focus