5º Citroën C4 Lounge THP

Desempenho de esportivo. Porte familiar. Preço. O que mais precisa?

Citroën C4 Lounge THP

Leia a ficha técnica do C4 Lounge. São 173 cv e 24,5 mkg de torque a meras 1.400 rpm. O câmbio de seis marchas indica que você provará cada gota desse mel. Espaço interno? Sobra. O sedã de 4,62 m tem 2,71 m de entre-eixos (9 cm a mais que um Honda CR-V, por exemplo), e, sem um painel que vai até o centro do carro ou bancos imensos tirados do catálogo da Etna, consegue acomodar três adultos no assento de trás sem necessidade de alternarem a respiração. O preço de R$ 82.490 na versão Tendance é o mais barato que você vai conseguir por um sedã médio turbo. O outro, o Volkswagen Jetta TSi, custa R$ 15 mil a mais.

Mas se fosse para escolher entre ele e um Golf, um Corolla ou um HR-V? Fique com os outros. Apesar do 1.6 herdado da BMW, seus números não lhe deram a vitória em desempenho. Ele perdeu para o Golf Comfortline. Em espaço também não foi o melhor. Como medimos o HR-V, trata melhor os passageiros. Há 2 cm a mais para os joelhos e 3 cm a mais para a cabeça no Honda, e seu porta-malas de 450 litros não faz inveja no vizinho.

Citroën C4 Lounge THP

Mas estes não são pecados capitais, são detalhes bobos. O acabamento poderia ser melhor, como quando você destrava o carro e toma um susto com o barulho. Manusear o GPS é mais difícil que consertar a placa-mãe de um MacBook, e um engenheiro poderia ter percebido que esse volante não combina com o carro. Não bastasse ser anestesiada, a direção tem 38 cm de raio, e o seu miolo imenso tem outros 24 cm de uma ponta a outra. O Golf, o melhor exemplo da turma, tem 35 cm de diâmetro e um miolo de 17,5 cm.

Pelo menos ele é divertido, faz curvas com competência e suporta os buracos como nunca vimos um sedã Citroën fazer. Não chegou entre esses oito carros à toa. Sim, nós teríamos um C4 Lounge THP e também o Tendance. Pena que os outros existam. 

Citroën C4 Lounge THP

4º Honda Fit EXL

É um carro para casar, não para namorar

Honda Fit

Imagine-se tendo de fazer a escolha mais importante da sua vida. A sonhada hora de comprar um carro.  Você vasculhou os bolsos, sacou os investimentos e a sua tia lhe doou uma cômoda de mogno que valia mais que o seu PS4. Há R$ 80 mil na sua mão. O que comprar? SUVs? Sedãs? Não, você é jovem! E então o Fit da sua mãe lhe vem à mente, o carro ideal para qualquer pessoa do mundo. 

Você dá uma voltinha com ele. Bastou. Espaçoso, direção leve e pedais que parecem feitos com plástico bolha. Que delícia! Seu painel simples e os instrumentos gigantes dão a impressão de tudo estar no lugar e de que aquilo nunca vai parar de funcionar. Você nem liga se perceber o acabamento pobre perto dos concorrentes. Tirando o couro do volante, fica claro que todo o resto foi talhado na economia. Mas e daí? Ele é tão ideal.

Honda Fit

Por fora parece uma garçonete do Hooters, mas a sua alma é da vovó que faz bolinhos de chuva no domingo. Dane-se se quando você destrava o carro parece terem jogado uma pedra na porta. Ele serve tão bem que a gente esquece. E ainda por cima também é barato perto dos carros mais legais que você pode ter por essa grana. Por R$ 67.400 você compra um EXL, completo, com os bancos de couro inexistentes no Golf  e a praticidade que o C4 não vai lhe dar. Como resistir a este casamento? Mas, calma. Cadê a paixão? 

Muito do sucesso do Fit está aí: atender a todos, sem apaixonar ninguém. Paixões mexem com muitas coisas, complicam o óbvio. A suspensão, por exemplo é insossa. Intercala momentos de conforto com outros sofríveis. As rodas de 16” são grandes para ele e sofrem com buracos. Mas você nem liga. Quem não ama, não cuida.

O câmbio CVT vai nessa linha. Não empolga nem se você estiver em queda livre. Aliado ao motor 1.5, levou o Fit aos 100 km/h em quase 12 segundos, algo aceitável para quem presta mais atenção em lábios do que em quadris. Afinal, a média de consumo é de 10,9 km/l.  Se teríamos um? Sim, com uma condição: pegar os R$ 12.600 que sobraram dos R$ 80 mil e turbiná-lo. Sem paixão, não dá!

Honda Fit

3º Honda HR-V EX

Quase SUV, quase carro. Quase o melhor

Honda HR-V

Pare de se enganar. Quem quer um HR-V nem de longe se imagina desbravando algo além do gramado de um sítio. É a imponência, o desenho recortado e a busca do motorista brasileiro por dirigir como se estivesse sobre o cupim de um Nelore que faz deste Honda a pedra de roseta do mercado.

A versão EX é a mais sensata da linha. Custa R$ 8.300 a menos em relação à EXL e de relevante só não entrega os bancos de couro, a central multimídia com tela de 7” multitouch e GPS, e dois tweeters no som. Vem com um multimídia de 5” igualmente fácil de usar e bancos de tecido pra lá de honestos. Por fora, a diferença fica por conta das maçanetas sem cromo. Ninguém vai notar.

Honda HR-V

Olhando de fora, seu desenho de cupê o deixa pequeno. Que nada! Você se esparrama na frente e tem 8 cm de amplitude na altura do assento. Para quem viaja atrás sobra espaço para os joelhos e há 94 cm do assento até o teto. É o mais confortável daqui. Outra vantagem está no porta-malas. São 437 litros, e você ainda pode rebater os bancos e criar um espaço suficiente para viver lá dentro.

Dinamicamente é o que mais se parece com um carro. Isso é bom para quem só queria um hatch alto, mas é ruim para os que almejam conforto. Como as molas são maiores e reforçadas em comparação ao Fit que lhe empresta a plataforma, ele sacoleja em terrenos esburacados, algo sentido especialmente por quem senta lá atrás. Contudo, preferimos esse jogo de cintura a qualquer gordurinha flácida.

Honda HR-V

O câmbio CVT vai bem em baixas velocidades. Aliado ao 1.8 flex de 139 cv com etanol ele é ágil para andar na cidade, mas quando você precisar retomar ou fazer uma ultrapassagem na estrada, vai sentir que falta força a partir dos 80 km/h. O consumo com etanol não passou dos 8,5 km/l de média, fora dos padrões mantidos pela Honda. Por essas e outras, ele fica atrás de Corolla e Golf na disputa, seus verdadeiros rivais na busca de quem quer o melhor carro, e não se amarra nessa onda de pseudo SUVs que a Honda acabou de criar.

Confira os dois melhores e todas as notas na próxima página!

Honda HR-V