fechar X
Assine

Por Diogo Dias (Texto e fotos)

Volkswagen prepara para os próximos meses a produção nacional do Golf na fábrica em São José dos Pinhais (PR) – a marca ainda não confirma a data, mas fontes cravam que o lançamento será em setembro, um mês após o início da produção em série. Com o passaporte nacional em mãos, a maior novidade será a opção do novo motor Flex EA211 1.6 de 120 cv, presente no irmão Fox. E foi exatamente essa futura versão mais em conta que foi flagrada pelo espião da Car and Driver durante testes na Grande São Paulo.

Na parte estética a diferença está na traseira: a saída de escape é única, enquanto o 1.4 TSI conta com duas. Curiosamente, os carros das fotos não trazem nenhuma identificação do motor na tampa do porta-malas - todos os motores aspirados acima de 100 cv recebem um logotipo com sigla MSI, como mostra essa outra unidade flagrada anteriormente

MAIS EM CONTA

Recentemente o site Argentina Autoblog, parceiro de Car and Driver, conseguiu a ficha técnica do modelo 1.6, lançado em janeiro no país vizinho. Entre as principais mudanças está a suspensão traseira com eixo de torção nessa versão mais simples, além de alguns cortes na lista de equipamentos de série.

Em relação às versões turbinadas, o aspirado deixa de ter ar-condicionado digital de duas zonas, controle de velocidade de cruzeiro, regulagem automática da altura dos faróis, faróis auxiliares de neblina, sensor de chuva e defletor de ar traseiro. Entretanto, todas as versões do Golf, pelo menos na Argentina, contam com controle de estabilidade (ESP) de série.  O câmbio será manual de seis velocidades.

Com as mudanças o preço inicial do modelo deve cair para cerca de R$ 65 mil. Atualmente a mais barata é a 1.4 Comfortline manual, que na época do seu lançamento (em março do ano passado) custava R$ 66.990 e hoje sai por R$ 74.300.

NACIONALIZAÇÃO

Conforme apurado pela reportagem de Car and Driver, no início, o Golf feito no Paraná terá peças trazidas do México. Mas o índice de nacionalização aumentará aos poucos até atingir 70%. A marca garante que o nível de qualidade do carro será a mesma das unidades importadas da Alemanha.  Ao todo, mais de 2.000 funcionários serão qualificados para a fabricação do hatch médio no Brasil.

A fábrica em São José dos Pinhais também vai abrigar a produção do Golf 1.4 e  do A3. Ambos vão ganhar o motor 1.4 TFSI equipado com a tecnologia flex. A novidade deve render cerca de 150 cv apenas com etanol no tanque. O esportivo GTI continuará sendo alemão e a recém-lançada perua Golf Variant será trazida do México.

 

Leia também
Comente!*