Nissan Kicks SV Limited: medida certa

Nova versão intermediária perde equipamentos. Mas você não vai sentir falta de nenhum deles

Por Raphael Panaro // Fotos: Bruno Guerreiro

Você pode substituir os bancos de couro por tecido, por exemplo. Sem problemas. Substitua também o ar-condicionado duas zonas pelo automático. Se não tiver visão 360°, a câmera de ré tem resultado parecido. A falta de airbags laterais e de cortina você nem vai perceber. Agora pegue isso tudo, bata do liquidificador e ainda subtraia R$ 7 mil. Calma. Isso não é o programa da Bela Gil. Essa é a receita da nova versão intermediária Nissan Kicks, a SV Limited. O tempero ainda vem do México, mas nos próximos meses o SUV passa a beber a caipirinha feita em Resende, no Rio de Janeiro.

 “Ah, mas esse tem menos itens de série”, você pode pensar. Esqueça isso. Você não vai sentir falta de nada em relação à configuração topo de linha SL, de R$ 91.900. Os bancos de tecido são confortáveis e com desenho interessante. O acabamento do painel perde o couro, mas a Nissan colocou um plástico com boa textura e visualmente agradável. As portas são as partes mais simples, porém a finalização tem tecido e o puxador ganha a cor prateada.


MELANCIA

O Kicks SV Limited ainda mantém boa parte das tecnologias. O painel de instrumentos com tela TFT configurável e a central multimídia com GPS integrado também permanece. Controles de tração e estabilidade, auxílio de partida em rampas, sensor de estacionamento, direção elétrica variável são outros equipamentos mantidos. A posição de dirigir nas alturas é outra característica que fica. Por fora, o Kicks mantém a grade cromada, rodas diamantadas de 17” e também os retrovisores e maçanetas na cor da carroceria.

O apelo racional continua sob o capô. A dupla formada pelo motor 1.6 flex de até 114 cv e a transmissão automática CVT não vai fazer sua boca salivar tanto quanto a da Bela Gil por melância grelhada. Mas o conjunto mecânico é suficiente para locomover o leve SUV – que pesa pouco mais de 1.100 kg. Até na estrada o utilitário surpreende. O único motivo de frustração que você vai sentir é o parco tanque de gasolina, de 41 litros – os rivais têm, pelo o menos, capacidade 10 litros maior. Mas isso não quer dizer que você visitará o posto de gasolina frequentemente. Mesmo com etanol, o Kicks faz 13,8 km/l em na rodovia. Na cidade, a média cai para 9,1 km/l. 

Compartilhe esse conteúdo



Comentários