Força e luxo: uma volta no surpreendente Mercedes-Maybach G650 Landaulet

No cruzamento do alto, opulento e refrescante, vive esse que é o primeiro SUV da Maybach

Fotos: Divulgação | Texto: Juergen Zoellter

Desta vez a culpa não é dos chineses, porque eles preferem assinar contratos corporativos nos compartimentos privativos das limusines. Não, este veículo de guerra da OTAN que foi absurdamente reaproveitado como uma barca exótica do prazer é uma carta de amor ao show-business e ao exibicionismo. É feito para estrelas do rap, oligarcas russos e príncipes do Oriente Médio com um falcão pousado em cada braço, que querem ver e ser vistos enquanto seus seguranças cuidam do perímetro.

O Mercedes-Maybach G650 Landaulet (nome que indica um teto dobrável sobre o banco traseiro) talvez seja o off-road conversível mais luxuoso e competente do planeta, um segmento que pode decolar a qualquer momento. Somente 99 exemplares serão feitos pela Magna Steyr, na Áustria, e cada um irá custar US$ 550.000. Aqueles que têm meios para comprar um, certamente não serão impedidos pelo fato de a Mercedes não oferecer esse carro oficialmente por aqui.

Mercedes-Maybach G650 Landaulet

Essa barca pesada da savana é uma coleção de componentes do setor de peças premium da Mercedes. Ele usa boa parte da mecânica e da cabine dos Classe G comuns, porém o acabamento do compartimento traseiro é o mesmo que a Maybach usa no Classe S de entre-eixos alongado. O teto conversível veio do Classe G conversível de chassi curto, aquele que a Mercedes não vende no Brasil, porém a peça foi retrabalhada para melhorar o isolamento acústico.

Para conhecer melhor sua capacidade técnica e seus recursos de luxo, dirigimos este tijolo de 3.700 kg (ah não, ele tem arcos de fibra de carbono nos para-lamas, então são 3.698 kg) na reserva Madikwe Game, na África do Sul, próximo à fronteira com o Botsuana, onde uma grande parte da natureza do continente pode ser admirada através do teto retrátil. Primeira impressão: apesar das trepidações ao se andar na traseira de algo que parece um carrinho de restaurante para um leão, descobrimos que não somos o tipo de comida que os animais gostam.

Mercedes-Maybach G650 Landaulet

À MODA ANTIGA

O ronco potente e de baixa frequência do V12 6.0 biturbo da AMG sob aceleração só fez os felinos virarem suas cabeças e o líder de uma família de elefantes abanar as orelhas. A voz do Landaulet é menos agressiva que a do AMG G65, e não tem nada a ver com o dos Land Cruiser que levam os turistas pelo parque.

O Maybach G650 dá continuidade à tradição dos landaulet da Mercedes, iniciada em 1910 com o Benz 25/45PS e que se manteve viva até hoje (ainda que desta forma absurda). E apesar de o G650 Landaulet ser a versão, vamos dizer, rural desta ilustre família, ele não abre mão de seus bens.

Como nos Classe G mais simples, o Landaulet precisa ser conquistado em vez de apenas dirigido; dirigi-lo é um trabalhão. Ele nunca aponta para onde o motorista quer que ele vá devido à sua direção de esferas recirculantes bastante imprecisa e à suspensão saltitante, que torna difíceis as pequenas mudanças de direção. Considerando que o Classe G está em produção desde 1979, é um toque antigo que se espera encontrar.

Mercedes-Maybach G650 Landaulet

CARÍCIAS DE BALÃO

Com outros 58 cm inseridos entre os eixos do Classe G, sentar no banco traseiro do Landaulet é como viajar no lendário Expresso Oriente, mas com uma brisa mais dura e uma melhor visão dos fãs ou dos assassinos contratados para te matar. É um compartimento de viagem de luxo, que trata a carga com dois criados com várias funções de massagem. O sistema de massagem com pedras quentes da Mercedes é equipamento de série formado por uma série de câmaras de ar aquecido que se inflam e desinflam periodicamente para apagar as tensões de mais um dia perfeito.

A massagem funciona de forma tão suave que o único alemão do grupo sugeriu chamá-la de carícia de balão quente. O motorista e o guarda florestal nos bancos da frente podem ser segregados durante este tratamento de spa com uma divisória de vidro entre o compartimento dianteiro e o traseiro. Esta janela elétrica pode até mesmo se tornar opaca ao toque de um botão para permitir que você ganhe uma massagem de balões quentes de forma mais privativa. Esta tecnologia é bem conhecida (por poucos, é verdade) no Classe S Coupé, que a usa em seu teto de vidro e se baseia em uma camada intermediária magnética entre os painéis de vidro.

Mercedes-Maybach G650 Landaulet

Dois degraus retráteis nas laterais do utilitário se abrem ou fecham com a ajuda da eletricidade. Ao abrir a porta, odegrau automaticamente se arma e permite que mulheres com trajes noturnos, possam descer de forma digna deste Classe G super alto.

Os bancos traseiros são separados por um enorme console central executivo, embora ele contenha duas taças de champanhe e porta-garrafas para ajudar o lance dos balões a rolar do jeito certo. Também há duas mesas dobráveis para… jogar cartas. Sim, isso mesmo. Cada banco tem um controle remoto e um fone de ouvido com microfone ligado a monitores separados logo em frente à divisória de vidro.

O teto pode ser aberto ou fechado ao toque de um botão no compartimento traseiro. Este botão deverá ser usado ao máximo, uma vez que a visibilidade lateral e traseira é restrita devido às colunas do teto. Além disso, a melhor visibilidade do G Landaulet é obtida quando se viaja em pé, tal como Francisco no papamóvel, que também é uma versão exclusiva da Classe G.

Mercedes-Maybach G650 Landaulet

A equipe de desenvolvimento instalou convenientemente quatro alças de apoio por passageiro. Viajar em pé também ajuda a tolerar as pancadas curtas e secas causadas pela estrada de cascalho, pancadas que os amortecedores não amortecem. Como eles estão instalados diretamente no eixo traseiro, nem mesmo as poltronas macias da Maybach são capazes de absorver os impactos.

Com pneus 325/55 R22 tracionando perfeitamente no asfalto o G650, com seus 5,33 m e 630 cv, vai de 0 a 100 km/h em menos de 6 s, diz  o fabricante. A aceleração impressionante é acompanhada por trocas de marcha suaves do câmbio automático de sete marchas. A velocidade máxima é limitada a 180 km/h para que o teto não saia voando. Em vez de um sistema de freio aeronáutico, o Landaulet precisa de uma distância de frenagem apropriada para evitar que uma revolução plebeia se inicie.

Mercedes-Maybach G650 Landaulet

CELEBRIDADE

Como todos os Classe G, o Landaulet vem com tração integral permanente e três diferenciais que podem ser bloqueados. Para levar sua capacidade fora-de-estrada a um passo adiante, ele ainda usa eixos-portal como no G500 4x4 e a série especial G63 6x6 – garantindo um vão livre do solo ainda maior ao serguir os rastros de guepardos.

Se os proprietários do G650 Landaulet irão usar seu carro para isso é difícil dizer. Mas se você tem muita sorte, talvez consiga encontrar alguma celebridade passeando por aí enquanto os bancos traseiros acariciam seus balões.

Mercedes-Maybach G650 Landaulet