Enfim, futuro. Aceleramos o novo Peugeot 3008

O francês se transforma em SUV para conquistar os brasileiros como sempre quis

Fotos: Divulgação | Texto: Carlos Cereijo

Quando chegou ao Brasil, a equipe da Peugeot repetia a palavra crossover para definir o 3008. Ninguém me contou isso, eu estava lá. A estratégia era que o grandalhão francês não era só mais um SUV, mas sim que ele oferecia outras qualidades. Algo muito além do que um “jipão” urbano. O tempo e o comportamento do consumidor, porém, mostraram outro cenário. Os brasileiros querem muito dizer quem tem um SUV na garagem, é uma realização. Não é a toa que a categoria de SUV médio quase dobrou de participação este ano (3,8%), se comparado a 2016 (1,9%). Até carros pequenos estão sendo chamados de SUV, como o Honda W-RV e o recém-chegado Renault Kwid.

Portanto, na apresentação do novo Peugeot 3008 a marca quis deixar bem claro que ele agora é um SUV. Mas nem precisava, pois é nítida a diferença em design. Começa pelo layout do carro, que agora tem a parte de capô e cabine bem definidos e separados. Os designers chamam isso de “dois volumes”. O 3008 anterior tinha o capô curto, o que deixava o modelo com cara de minivan com nada de “mini”. O novo 3008 começou a nascer em 2012, quando estúdios da Peugeot de vários mercados, inclusive Brasil, enviaram propostas para renovar o modelo. Após dois o desenho definitivo foi aprovado. A Peugeot não revela qual estúdio ganhou a concorrência, mas conseguimos apurar que o Brasil colaborou com alguns elementos no interior do carro.

O design do SUV é bem mais marcante agora. Na dianteira o capô alto e musculoso, com direito à aplique cromado perto da borda da tampa, conversa bem com os faróis recortados, inspirados nos dentes de um leão. De lado, o 3008 usa apliques pretos para dar a sensação de que o teto está flutuando. Outros apliques plásticos na parte inferior da carroceria, mas dessa vez em preto fosco, diminuem visualmente a altura do SUV. Na traseira, as lanternas com três elementos fazem alusão às garras de um felino. A pintura preta entre as luzes também dá um efeito esportivo ao Peugeot. Se o 3008 antes parecia um carro só para as mamães, o novo SUV pode ser usado por qualquer marmanjo.

Peugeot 3008

BMW? QUASE...

Por dentro a evolução do 3008 é ainda maior, com cara de carro do futuro. O conceito i-Cockpit, que tem como principal característica o volante pequeno, estreia sua versão 2.0 no SUV. O cluster não tem instrumentos físicos, mas sim uma tela TFT de 12,3 polegadas que pode ser configurada para mostrar velocímetro e tacômetro, ambos com ponteiros. Ou, se assim o motorista preferir, mostrar apenas um pequeno número com a velocidade. Também é possível personalizar as informações que são mostradas, como consumo e temperatura do motor.

Por falar em tela, o sistema multimídia tem uma de 7 polegadas que usa a mesma tecnologia de smartphones. Logo abaixo estão botões para selecionar entre rádio, ar-condicionado, navegação e outros itens. Na verdade são teclas inspiradas num conceito de piano, chamado Pleyel, criado pela Peugeot em 2012. O olhar mais atento vê no porta-trecos, na parte central do painel, um aviso para não colocar chaves nem moedas. A razão é o carregador de celular por indução. Basta colocar o aparelho que uma carga magnética vai enchendo a bateria. A manopla do câmbio automático de seis marchas tem forma bem peculiar. A operação dela é parecida com a alavanca de alguns BMW, ou quase isso.

Na hora de acelerar reencontramos um velho conhecido, o motor 1.6 THP de 165 cv. Este quatro-cilindros turbo já provou que tem fôlego e torque de sobra, mesmo na versão que só bebe gasolina. A direção elétrica está bem acertada, sem ser anestesiada. O grande destaque, porém, é a suspensão. O acerto do 3008 mostra uma que o SUV pode percorrer asfalto maltratado sem sacolejar os ocupantes. O Peugeot faz bem as curvas, não inclina com preguiça. Apenas com cinco ocupantes é que o rodar fica mais firme. Palmas também para a plataforma EMP2, que mostra solidez e ajuda o SUV a ser 100 kg mais leve que seu antecessor.

PATINETE

O novo 3008 não teve o preço confirmado até a conclusão desta reportagem, mas a Peugeot disse que o SUV mira os compradores que tem na lista modelos como Honda CR-V e Hyundai Santa Fe. Portanto, o modelo deve custar cerca de R$ 150 mil e vir muito recheado. Há bancos com aquecimento e massagem, teto panorâmico, câmera de ré com visão 360 graus... No lançamento só haverá uma versão disponível. E os 30 primeiros clientes ainda podem levar de brinde o E-Kick, um divertido patinete elétrico. A Peugeot demorou para entender que os brasileiros querem um SUV, mas a espera valeu a pena.

Peugeot 3008

Compartilhe esse conteúdo



Comentários