Aceleramos o agressivo Audi RS3 Sedan

Ele é a prova de que a Audi gosta de nós o bastante para trazer seus modelos mais rápidos. Mas essa paixão tem um preço

Fotos: Divulgação | Texto: Mike Duff

Em Salalah, no Omã, aonde a Audi nos levou para dirigir o novo RS3 Sedan, soubemos que um bom camelo pode chegar a US$ 10.000. Esta parte do Golfo é famosa por criar dromedários, e ela atrai tribos de beduínos de centenas de quilômetros de distância para negociar estes animais do deserto. Claro, há vários maus camelos, o mais barato deles irá custar menos de US$ 500 na moeda local. Mas como nosso guia Khush deixou claro, você não vai querer um desses maus camelos. A qualidade tem seu preço, e essa máxima vale tanto para os dromedários quanto para os sedãs compactos. Na improvável chance de um beduíno decidir comprar um RS3, ele precisará vender ao menos seis camelos de primeira classe para realizar seu sonho. O preço ainda não foi definido, mas soubemos que ele custará US$ 60 mil nos EUA – quase 100% sobre o A3 2.0.

Ao menos a Audi trouxe o carro. O RS3 teve outras duas gerações anteriores, ambas eram hatchbacks e ambas eram movidas pelo motor turbo de cinco cilindros, mas nenhuma delas cruzou o Atlântico. A mudança para o novo motor cinco-cilindros turbo com bloco de alumínio, que já vimos no TT RS, coincide com a decisão de oferecer um sedã RS3 pela primeira vez.

Audi RS3 Sedan

A combinação de carro compacto com motor grande continua atraente, e os 405 cv do RS são a quantidade exata de potência demais. Embora a Audi Sport admita que seria possível produzir um quatro cilindros com potência semelhante, ela preferiu ficar com o cinco cilindros porque lucra o suficiente para justificar um motor de nicho e também para melhorar a dirigibilidade. Como explicou Stephan Reil, chefe da Audi Sport, "as pessoas compram potência mas gostam de dirigir o torque". Com 48,8 mkgf disponíveis desde as 1.700 rpm, torque não será problema.

O 2.5 de cinco cilindros é a principal atração. A Audi manteve a ordem de ignição 1-2-4-5-3 que deu ao RS sua personalidade sonora, que remete aos quattro de rali que a Audi adora lembrar que fez no passado. Sob carga moderada este motor produz um ronco gutural que é fortemente remanescente do V10 do R8. Há algum lag em velocidades baixas, mas o motor parece ter muito mais fôlego que seu equivalente de quatro cilindros e gira com mais entusiasmo até as 7.200 rpm, quando o limitador entra em cena.

Audi RS3 Sedan

Audi RS3 Sedan

COCÔ DE CAMELO

A transmissão de embreagem dupla e sete marchas da Audi, que é a única opção de câmbio, faz um trabalho previsível de suavizar as trocas quando deixado em drive, mas também consegue fazer trocas rápidas sob controle manual (que usa borboletas leves demais) e com o sistema Drive Select em seu modo mais agressivo.

O mesmo sistema de tração integral que a Audi usa em seus outros modelos de motor transversal é quem controla o torque, embora com alguns aprimoramentos para o RS. Enquanto o primeiro RS3 era o mestre de cerimônias do Festival do Sub-esterço, este aqui se mostrou ágil e neutro quando levado aos limites em uma estrada sinuosa.

Audi RS3 Sedan

Audi RS3 Sedan

Muito disso certamente se deve à dieta do motor; com o bloco de alumínio ele é 26 kg mais leve que seu equivalente com bloco de ferro. Mas uma traseira mais afiada também ajudou. Muitas das estradas das montanhas do Omã parecem cobertas por uma fina camada brilhante de areia, o que deve ser bosta de camelo ou uma combinação de ambos, e nas superfícies de baixa aderência o RS3 envia mais força para a traseira para manter o carro na linha. Ele pode ser até convencido a fazer pequenas derrapadas de traseira se você provocá-lo. As superfícies das estradas do Omã eram boas demais para avaliarmos a qualidade de rodagem, mas o RS3 se mostrou mais complacente que seu irmão TT RS, e os freios dianteiros de carbono cerâmica trabalharam sem ruído ou hesitação.

SUPLEMENTOS

A Audi parece ter aprendido a lição com seus modelos RS anteriores, que eram parecidos demais com suas versões S, mais amansadas. Assim, se o A3 come salada e evita a academia e o S3 pratica ioga e pilates, o RS puxa ferro e tem um armário recheado de suplementos.

Há uma nova tomada de ar inferior, logo abaixo da grade do radiador, além de enormes extensões das soleiras e um difusor traseiro que parece somente um pouco menor que sua versão de corrida, o RS3LMS. A cabine ganha Alcantara nos paineis das portas, couro acolchoado nos bancos esportivos e um volante esportivo com aro mais grosso, além de vários displays específicos da linha RS no quadro de instrumentos Virtual Cockpit.

Audi RS3 Sedan

O RS3 Sedan confirma que a Audi nos adora, ou certamente adora nosso dinheiro. 40% da produção do RS3 será de sedãs e é certo que o RS3 tem um preço quase absurdo para algo tão pequeno. Mas este, sem dúvida, não é qualquer A3. 

Carros com pneus mais largos na traseira que na dianteira são comuns, mas o RS3 é um dos poucos que invertem esta lógica. A bitola dianteira do RS3 é 3,05 cm mais larga que a traseira, mas boa parte das versões usará pneus 255/30 R19 na frente e 235/35R na traseira. Os pneus maiores na dianteira são opcionais em outros mercados, onde o RS3 usa 235 nas quatro rodas. Segundo Stephan Reil, o chefe de desenvolvimento da Audi Sport, os pneus mais largos aumentam a aderência dianteira e reduz a tendência ao sub-esterço, mas não altera o equilíbrio do carro a ponto de exigir modificações na suspensão ou uma reprogramação no controle de estabilidade e no sistema de tração integral.

Audi RS3 Sedan

Audi RS3 Sedan