Avaliação: Mercedes-Benz C250 Coupé Sport

Menos duas portas, mais estilo

Fotos: Divulgação | Texto: Luiz Guerrero

Fãs de Audi e de BMW, admitam: a Mercedes-Benz sabe desenhar cupês. Veja as fotos do C 250 Coupé Sport e comprove. Carros com esta configuração de carroceria são geralmente elegantes, mas a Mercedes consegue criar em seus duas-portas linhas mais belas que as dos seus dois maiores oponentes locais. Talvez só a Jaguar consiga fazer cupês tão agressivos e, ao mesmo tempo, suaves.

Derivado do Classe C sedã, o cupê foi lançado em 2015 na Alemanha. Por duas portas a menos – e por presença mais marcante no trânsito – a Mercedes cobra  R$ 70 mil (quase metade de um Classe A básico) pela versão 250 Coupé Sport em comparação ao sedã C 250 Avantgarde: o modelo custa R$ 275.900. O carro tem presença, é inegável. Mas, convenhamos: não vale tudo isso.

Mercedes-Benz C250 Coupé Sport

BEM NA FOTO

Quando se compara os dados das fichas técnicas, nota-se que cupê e sedã tem as mesmas dimensões, à exceção da altura (o duas-portas é 4 mm mais alto), por conta das rodas de 18” com pneus 225 com perfil 45 na dianteira e 245 com perfil 40 na traseira (o sedã vem equipado com rodas 17” com pneus 225/50). A curvatura do teto, mais acentuada, também responde por alguns milímetros extras na altura. O Cx é ligeiramente mais baixo que o do sedã (0,26 x 0,27).

O cupê recebe o mesmo conjunto mecânico do sedã 250. O motor é um quatro cilindros turbo de 213 cv (a 5.500 rpm) e o câmbio é o automático com conversor de torque de sete marchas. Mas o cupê é 60 kg mais pesado que o quatro-portas e tem 80 litros a menos de capacidade no porta-malas. Na prática, fica mais bonito na foto, mas em tese, anda menos que o sedã.

O rodar é sólido como o de qualquer Mercedes-Benz de motor dianteiro/tração traseira. E a direção é igualmente precisa. A suspensão independente recebe braços de aço de série, mas o comprador pode optar por um conjunto de alumínio, que rebaixa o carro em alguns milímetros, ou a Airmatic, a ar. Não levamos o cupê para nossa pista de teste, mas podemos afirmar que o Sport do novo refere-se à aparência esportiva e não ao desempenho – qualidade reservada ao AMG C43 de 367 cv e R$ 379.900.

Mercedes-Benz C250 Coupé Sport

FAVOS

O espaço no banco traseiro para as pernas e ombros é equivalente ao do sedã, mas a curvatura do teto rouba área para a cabeça. Claro, não há o conforto das portas exclusivas dos passageiros do banco de trás, mas entrar e sair não exige sacrifício. O Coupé Sport vem com volante de base achatada, pedais de alumínio e com a mesma qualidade de acabamento do sedã.

A ergonomia é, do mesmo modo, é impecável – desde que você esteja habituado a operar o sistema multimídia da marca, um sistema confuso até para quem conhece bem os Mercedes. Em compensação, as respostas do sistema, batizado de Comand, são rápidas.

O ponto alto do carro é, como você já percebeu, o desenho. A foto acima mostra o melhor ângulo do Coupé, o 3/4 de traseira, que ressalta o caimento do teto para se integrar a tampa do porta-malas. A linha de cintura é alta e ascendente para dar impressão de movimento. Na dianteira o que se destaca são as duas entradas de ar, com tela em formato de favos e na cor preta, nas extremidades do para-choque. Chama muito atenção. Mas custa caro.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários