Avaliação: Dodge Challenger SRT Demon

Aceleramos o demônio fora do inferno

Fotos: Divulgação e Roy Ritchie | Texto: K.C Colwell

Você não prega um prego com uma chave de fenda. Você não troca um pneu com um liquidificador. A Victorinox pode ter feito você acreditar que uma única ferramenta pode fazer o trabalho de outras 33, mas você já tentou descascar uma árvore com um canivete? Ferramentas eficazes são feitas para uma única finalidade. Por isso, quando Tim Kuniskis, o chefe das marcas de carros de passeio da Fiat Chrysler, disse que “não é um GT350R, nem um Camaro 1LE” enquanto olhávamos para o Dodge Challenger SRT Demon com seus pneus de arrancada liberados para as ruas e uma série de apetrechos para corridas de arrancada, nosso monólogo interno não pôde deixar de concordar.

ATÉ QUE COMEÇOU A CHOVER...

E a água somada aos pneus de arrancada e mais de 850 cv de potência são uma equação que não queremos resolver. Plano B em ação: adiar o voo de volta em troca de três passagens rápidas no Lucas Oil Raceway, em Indianapolis, EUA, na manhã seguinte. Dirigimos o esportivo por exatemente 6.000 metros, e a maioria dessa distância foi em marcha lenta, retornando para o início da reta. O Demon até vira para a direita, mas fizemos apenas seis curvas de 180 graus para a esquerda.

Sabemos exatamente o quanto dirigimos porque trouxemos o VBOX para ver se conseguiríamos chegar perto dos 9,65 s que a Dodge declara para o quarto-de-milha do Demon. Não conseguimos. Na verdade, nossos tempos foram tão diversos que não iremos publicá-los. Não é que não acreditamos na declaração da SRT. Apenas achamos que este tempo exige condições atípicas: nível do mar, pista com temperatura média, ar frio e seco. Quando testamos o Demon usando nossa metodologia, ele não foi tão rápido quanto a publicidade. Esperávamos que o Demon original percorresse os 400 metros na faixa dos 10 s baixos. Tire alguns décimos de segundo se ele estiver com os pneus estreitos na dianteira e queimando gasolina de alta octanagem, e a superfície da largada esteja meticulosamente preparada com o máximo de VHT permitido.

Dodge Challenger SRT Demon

Sobre os pneus estreitos: um Demon sai de fábrica com um V8 supercharged de 6,2 litros e 820 cv e 98,9 mkgf. O preço inicial nos EUA é de US$ 86.090. Mas por US$ 86.091, os clientes também levarão a caixa de maldades, que inclui os pneus dianteiros estreitos, uma nova ECU do motor e todas as ferramentas necessárias para trocar as rodas na pista e mais.

A caixa transforma o Demon e seu motor de octanagem 91 em um reator de octanagem 100 com uma única missão: viajar 400 metros a cada vez.

Para colocar este carro de rua nos 9 s, você precisa fazer o equivalente automotivo dos códigos de finalização de Mortal Kombat. Aperte os botões corretos, pedais e borboletas na sequência correta e ele irá destruir todos os outros carros produzidos em série. Se fizer errado, o Demon vai chacoalhar um pouco e mal irá se mover.

PASSO A PASSO

A sequência, que suspeitamos ser intencionalmente complexa para impedir o uso em rua, é a seguinte: ative o modo de arrancada com dois toques no botão SRT, e selecione a opção de alta octanagem para chegar aos 851 cv. O modo de arrancada desativa o ar-condicionado da cabine e direciona sua força para o SRT Power Chiller, um dispositivo que pode derrubar a temperatura da admissão em até 10 graus por meio do resfriamento do fluido de arrefecimento do intercooler. Depois ative o line lock pela tela do sistema multimídia. Segure o botão no lado esquerdo do volante e faça um burnout de quatro ou cinco segundos para aquecer e limpar os pneus. Vá até o pinheirinho e selecione o TransBrake (veja quadro). Puxe e segure as borboletas do volante, enquanto segura o carro com o pé esquerdo no freio. Isso elimina trancos na transmissão, e pré-carrega o cardã e a transmissão com torque. Solte uma das borboletas, tire o pé do freio e o TransBrake será ativado. O carro ficará parado no mesmo lugar até que o limite de 2.350 rpm seja excedido. É algo mais fácil na teoria do que na prática – afinal o acelerador do Demon parece mais um interruptor.

Dodge Challenger SRT Demon

Com a sequência executada corretamente, o Torque Reserve do SRT entra em ação. O sistema injeta combustível somente em alguns cilindros, mas mantém todoas as válvulas trabalhando para maximizar o fluxo de ar. Isso permite que o compressor chegue às sua pressão máxima sem que o motor esteja em sua potência máxima. Segure as rotações em 1.700 rpm e então solte a outra borboleta enquanto enterra o acelerador.

De uma só vez o Torque Reserve será desativado, o TransBrake irá soltar a transmissão, e o rugido infernal irá fluir livremente pelo escape do Demon. A primeira arrancada é chocante. Se você quiser simular a sensação do 1,8 g de aceleração na arrancada, peça para alguém te dar um chute no peito enquanto você pula de costas do telhado.

É fácil superaquecer ou errar a arrancada com o Demon. Mas se você fizer tudo direito (precisamos de mais umas dez passagens), o Demon irá anular o efeito da gravidade sobre seus pneus dianteiros por alguns metros. E isso, amigos, é o que acontece quando você está usando a ferramenta certa.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários