Aceleramos o novo Land Rover Discovery

Agora em sua quinta geração, SUV está maior e mais luxuoso

Por Henrique Neves // Fotos: Divulgação

O Land Rover Discovery sempre despertou reações controversas em relação ao seu design, considerado quadrado demais por alguns e de personalidade forte por outros. Se você é do tipo que valoriza o desenho, a controvérsia deixa de existir a partir de agora com a quinta geração do SUV. A depender do ângulo que você olha, o novo Disco lembra o Evoque, embora sua semelhança com o Discovery Sport seja mais evidente.

O SUV de sete lugares ganhou linhas mais arredondadas e ficou 15 cm maior no comprimento, um alento para quem viaja na terceira fileira de bancos. Em comum com as gerações anteriores, a nova manteve a excepcional capacidade off-road. Foi o que constatamos ao dirigir a novidade em vários tipos de terreno em Utah, nos EUA.

CAMEL

O novo Discovery estreou no Salão de Paris em setembro de 2016 e em novembro foi apresentado ao público brasileiro no Salão de São Paulo. A pré-venda começou em março, com as primeiras unidades programadas para serem entregues a partir de 29 de junho. São quatro versões (SE, HSE, HSE Luxury e First Edition), com preços entre R$ 363 mil e R$ 469 mil.

Tivemos a oportunidade de dirigir todas as versões, mas nos concentramos na turbodiesel com motor V6 de 3 litros e 258 cv e que, segundo a marca, é 1,2 s mais rápido na aceleração 0 a 100 km/h que o modelo anterior: 8,1 s. A versão a gasolina também vem com motor V6 3.0, mas com 340 cv, e acelera no 0 a 100 km/h em 7,1 s, conforme aferições do fabricante, e tem velocidade máxima limitada eletronicamente de 215 km/h. Ambas as versões são equipadas com câmbio automático de 8 marchas.


Fique a vontade para anotar os números de desempenho. Mas saiba que, no caso do Discovery, eles não têm a menor importância: o que se deve valorizar neste SUV é a extrema competência que demonstra ao transpor obstáculos – quem tem mais de 30 anos se lembrará dos Disco pintados de amarelo sandglow desafiando as leis da Física no Camel Trophy, a gincana de resistência realizada nos anos 1980 a 2000. Nesta quinta geração, a desenvoltura em terrenos impossíveis foi preservada, mas ganhou um componente extra: o conforto.

ASFALTO, AREIA E NEVE

Os organizadores do test-drive do modelo queriam demonstrar essas qualidades ao impor vários desafios off-road aos participantes. O ponto de partida foi a cidade de St. George, ao sul do estado americano de Utah, divisa entre o Arizona e Nevada, onde chegamos em um jato fretado personalizado pela Land Rover para a ocasião. A partir de então, foram 600 km de avaliação percorridos em dois dias e que incluiu trechos de asfalto com retas intermináveis, estradas de montanha com curvas acentuadas, trilhas rochosas e trechos que intercalavam areia, neve e lama.

O novo Discovery é equipado com uma nova geração do Terrain Response, o sistema que adapta os parâmetros do carro ao tipo de terreno e que é acionado por meio de teclas no console. São quatro modos diferentes de condução, além da suspensão a ar, que eleva e abaixa a carroceria de acordo com o obstáculo a ser transposto. Seguramente, o comprador do modelo manterá o seletor no modo normal, suficiente para fazer o Disco escalar a rampa do shopping ou transitar pelo gramado do sítio.


EXAGERO E WIFI

Com 4,97 m de comprimento, 2,92 m de entre-eixos e 1,84 m de altura, o Discovery ficou mais espaçoso. Agora, os bancos da terceira fileira recebem dois adultos com conforto, embora o acesso permaneça difícil. Como novidade, é possível rebater os bancos, além dos sistemas elétricos convencionais, por meio de aplicativo no celular. O volume do porta-malas varia de 258 a 2.500 l, dependendo da configuração dos bancos.

O acabamento é impecável. No painel redesenhado, aço escovado, madeira e couro se harmonizam com extremo bom gosto. Nove portas USB, seis pontos de carga de 12 V, além de 25 porta -objetos espalhados pelo carro são alguns dos exageros. O sistema de entretenimento foi aperfeiçoado com tela de 10 polegadas sensível ao toque e por onde se tem acesso ao GPS, TV, DVD além de ajustes do carro. O som conta com 14 alto-falantes e mais de 800 Watts de potência. Também é possível deixar suas musicas preferidas e fazer play list no disco rígido interno do carro com capacidade para 10 Gigas de memória.

Passageiros da segunda fileira têm seus próprios monitores no encosto do banco. Uma entrada para um chip de celular no console central permite que você conecte seu dispositivo móvel à internet por meio de wi-fi. E um sistema de câmeras 360 graus ajuda o motorista na hora de estacionar.

O quadro de instrumentos, no entanto, decepciona: esperava-se mais ousadia na configuração do cluster, especialmente porque os concorrentes de outras marcas estão investindo em telas maiores, mais intuitivas e com recursos para personalização.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários