-->

Teste: Volkswagen Golf 1.0 TSI

Golf ganha motor 1.0 turbo de 125 cv e custa menos que o 1.6. Mas sem câmbio automático, você vai comprá-lo?

Por João Anacleto // Fotos: Bruno Guerreiro

Os preços dos carros sempre seguem uma linha racional. Os que trazem mais tecnologia, desempenho e equipamentos são sempre mais caros. Qualquer outro que tenha um lapso de defasagem custa menos e, normalmente, vende mais. Mas a Volkswagen quebrou essa estrutura secular. O novo Golf 1.0 é, sem dúvida, uma das maiores invenções da marca na linha Golf e, pasme, ele é o mais barato da linha. Não que seja melhor que o 1.4 Highline (que parte de salgados R$ 95.670), mas tem dotes bem superiores que o 1.6 Comfortline, por exemplo, e por R$ 74.990 custa exatos R$ 3.140 a menos que a única versão aspirada da linha.

O motor do novo Golf 1.0 recebeu melhorias em relação ao mesmo conjunto que equipa o Up TSI. A pressão gerada pela turbina foi elevada de 0,9 bar de pressão para 1,3 bar. Essa medida fez com que o torque pulasse de 16,8 mkgf para 20,4 mkgf, e a potência fosse dos 105 cv para 125 cv, no Golf. Esse maior fluxo de gases passando pela turbina obrigou a troca de carcaça dda turbina, que era de alumínio e agora é de aço, para suportar, especialmente, a temperatura mais alta. A válvula de alívio agora é eletrônica, as velas de ignição são novas e têm eletrodos de irídio, que aceleram a queima da mistura ar/combustível.


3,5 S MAIS RÁPIDO

O que se vê na prática é um carro que roda liso, sem a vibração que os tricilíndricos costumam apresentar e concativa quem enxerga o Golf como um carro dinâmico ne essência. Tudo bem que o torque só chega em 2.000 rpm e que até lá você deve saber lidar com ele. No entanto, a partir disso ele vira um carro saboroso de se apreciar. O câmbio de 6 marchas, reforçado para suportar o torque extra, tempera essa relação com precisão e relações ajustadas como um relógio suíço.

Em desempenho, comparado com a versão 1.6 equipada com câmbio Tiptronic, o Golf TSI promoveu um espancamento no campo de provas. Ele acelerou de 0 a 100 km/h em apenas 10,1 s, tempo 3,5 s mais rápido que o 1.6 Comfortline. Muito tempo para um carro quase R$ 10 mil mais caro. Sim, o Golf 1.6 automático parte de R$ 83.530!

Fomos até a lista de equipamentos tentar descobrir como uma versão que vai tão pior que a outra em desempenho pode ser tão mais cara. E, para nossa surpresa, os pacotes são iguais. Ambos têm sensores de estacionamento, sete airbags, multimídia com tela de 6,5”, rodas de 16” e controles de tração e estabilidade entre os principais equipamentos de série. O que nos leva a crer que a VW está fazendo um teste de popularidade com a nova motorização em um carro tão desejado.


MAL ME QUER...

Mas o purgatório do Golf 1.0 TSI estará mais no que ele não tem do que no conjunto que nos faz admirá-lo tanto. Como pagar mais de R$ 70 mil em um carro sem, sequer, a opção de câmbio automático? “Não fizemos nenhuma experimentação deste motor com câmbio automático ou automatizado”, foi a resposta da VW para a pergunta. Será que é tão difícil? Não parece. A Ford fez a mesma coisa com o Fiesta Ecoboost, de 125 cv, e só o vende com câmbio Powershift de dupla embreagem. Mas pagar mais de R$ 70 mil em um Fiesta é bem mais difícil de entender do que despejar a mesma quantia em um Golf. Quem sabe na linha 2018 ele saia deste mal-me-quer...

Compartilhe esse conteúdo



Comentários